A produção de parafasias em sujeitos com afasias fluentes e não fluentes

Thalita Cristina Souza Cruz

Resumo


O presente artigo, desenvolvido no âmbito da Neurolinguística enunciativo-discursiva, busca discutir o estatuto das parafasias, fenômeno observado na fala de sujeitos afásicos, a partir da análise de dados obtidos em episódios dialógicos, que ocorreram em sessões do CCA – Centro de Convivência de Afásicos do IEL/Unicamp. A parafasia é um fenômeno considerado de alta frequência nas afasias, mas que também pode ser observado na linguagem de sujeitos não afásicos e caracteriza-se pela produção de determinada palavra no lugar de outra – a palavra-alvo. A literatura neuropsicológica relaciona a parafasia semântica às afasias fluentes. A partir do referencial teórico aqui apresentado, busca-se questionar essa afirmação e desenvolver a hipótese de que as parafasias semânticas estão presentes também nas afasias não fluentes.  


Palavras-chave


Parafasia; Afasia; Organização semântica

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofi a da Linguagem. São Paulo. Hucitec, 1929.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso.In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

CAZELATO, S. E. O. A interpretação de provérbios equivalentes por afásicos: um estudo enunciativo. Tese (Doutorado) – IEL/Unicamp, Campinas, SP, 2003. Disponível em: http://libdig.unicamp.br/document/?code=vtls000296051. Acesso em: 5 nov. 2012.

COUDRY, M. I. H. Diário de Narciso: discurso e afasia. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

DAMICO, J. S. et al. Qualitative methods in aphasia research: basic issues. I: Aphasiology, v. 13, n. 9-11, p. 651-665, 1999.

EDWARDS, S.; BASTIAANSEN, R. Diversity in the lexical and syntactic abilities of fluent aphasic speakers.Aphasiology, v. 12, p. 99-17, 1998.

FLORES, V. do N. et al. (Org.) Dicionário de Linguística da Enunciação. São Paulo: Contexto, 2009.

FRANCHI, L. C. Hipóteses para uma Teoria Funcional da Linguagem. Teses IEL/Unicamp, 1977.

GEGe. Palavra e contrapalavras: glossariando conceitos, categorias e noções de Bakhtin. São Carlos: Pedro e João Editores, 2009.

GÓES, M. C. A abordagem microgenética na matriz histórico-cultural: uma perspectiva para o estudo da constituição da subjetividade. Cadernos Cedes, v. 50, ano XX, p. 9-25, 2000.

GOODGLASS, H.Stages of lexical retrieval. Aphasiology, v. 12, n. 4-5, p. 287-298. Acesso em: 3 ago. 2011.

JAKOBSON, R. Dois aspectos da linguagem e dois tipos de afasia. In: ______. Linguística e Comunicação. São Paulo: Cultrix, 1954.

KAPLAN, E.; GOODGLASS, H.; WEINTRAUB, S. The Boston naming test. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2001

LURIA, A. R. The working brain: an introduction to neuropsychology. New York: Basic Books, 1973.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria.Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

NOVAES-PINTO, R. Difi culdades de encontrar palavras e produção de parafasias nas afasias e nas demências: inferências para o estudo da organização e do acesso lexical. In: Projeto de Pesquisa – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, 2011a.

NOVAES-PINTO, R. Desafi os Metodológicos da Pesquisa em Neurolinguística no início do século XXI. Estudos Linguísticos, v. 40, 2011b.

NOVAES-PINTO, R. Cérebro, Linguagem e funcionamento cognitivo na Perspectiva sócio-histórico-cultural: inferências a partir do estudo das afasias. Letras Hoje, v. 47, 2012a.

NOVAES-PINTO, R.; SOUZA-CRUZ, T. C. Organização semântico-lexical em categorias específi cas: discussão crítica com base em dados de situações dialógicas e de estudos experimentais com sujeitos afásicos. Estudos Linguísticos, v. 41, n. 2, p. 708-722, maio-ago 2012.

NUNES, J. H. Lexicologia e Lexicografi a. In: GUIMARÃES, E.; ZOPPY, M. A palavra e a frase. São Paulo: Pontes, 2006.

SOUZA-CRUZ, T. C. Em briga de marido e mulher ninguém mete: o garfo! Estudo neurolinguístico da produção de parafasias semânticas em sujeitos afásicos. Dissertação (Mestrado) – IEL/Unicamp, 2013. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000909838. Acesso em: 09 ago. 2014

RAPP, C. A palavra paralela? Tese (Doutorado) – IEL/Unicamp, 2003. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000314778. Acesso em: 9 ago. 2014

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)