Vozeamento de obstruintes: um estudo com surdos e ouvintes

Rosana Passos, Thaïs Cristófaro Silva

Resumo


Este artigo analisa as propriedades de vozeamento e desvozeamento das consoantes obstruintes do português brasileiro, em participantes surdos profundos pré-linguais usuários de Língua Brasileira de Sinais (Libras). Foram realizados cinco experimentos com seis surdos e um experimento com seis ouvintes do grupo controle. A análise acústica dos dados revelou que os surdos desvozeiam todas as consoantes obstruintes em início de palavra, sejam elas em português vozeadas ou desvozeadas. A noção de contraste encoberto levou à formulação da hipótese de que a vogal que segue a consoante obstruinte vozeada é mais longa do que a vogal que segue a consoante obstruinte desvozeada. Tal hipótese foi comprovada, oferecendo evidências de que o contraste encoberto opera na fala dos surdos para discriminar obstruintes vozeadas de desvozeadas.

Palavras-chave


Fonologia de Uso; surdez; vozeamento; obstruintes; contraste encoberto; acústica da fala.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)