Ethos e pathos na primeira página do jornal

Eduardo Lopes Piris

Resumo


Assumindo o pressuposto de que a argumentação é uma dimensão constitutiva do discurso, este artigo volta-se para o estudo do discurso jornalístico, focalizando os efeitos de identificação entre o jornal e o seu leitor construídos na primeira página jornalística por meio do ethos e do pathos. Para tanto, examina as primeiras páginas das edições de 2 a 4 de abril de 1964 dos jornais Correio da Manhã e O Globo. Baseia-se nos fundamentos teórico-metodológicos da análise discursivo-argumentativa, tal como proposta por Amossy (2006, 2007) e Mosca (2007). Por fim, conclui que a diferença entre a composição da primeira página dos jornais revela dois regimes de enunciação que legitimam dois discursos controversos: o Correio da Manhã, o jornal participativo; O Globo, o jornal espectador.


Palavras-chave


discurso; argumentação; primeira página; ethos; pathos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)