Aquisição tardia de linguagem e desenvolvimento cognitivo do surdo

Júlia Maria Vieira Nader, Rosana do Carmo Novaes-Pinto

Resumo


O presente trabalho visa discutir os efeitos da aquisição tardia de uma língua – mais especificamente da língua de sinais – no desenvolvimento cognitivo dos surdos. O diagnóstico tardio da surdez é muito frequente, especialmente quando se trata de famílias ouvintes, que demoram a perceber as dificuldades da criança e a procurar ajuda especializada. Após o diagnostico, é comum ainda que haja resistência por parte da família não só para aceitar a condição de surdo da criança, mas também para aceitar a língua de sinais. Embora desde a primeira infância os surdos estejam inseridos no mundo simbólico da linguagem (constituída pela língua falada pela mãe, pelos gestos e sinais usados), o que permite o desenvolvimento cognitivo, os efeitos da aquisição tardia de uma língua (oral ou de sinais) tornam restritas não só as possibilidades comunicativas da criança em alguns círculos sociais, mas também as possibilidades de aprendizagem de conteúdos veiculados pela língua formal.


Palavras-chave


aquisição de linguagem; surdez; língua de sinais; desenvolvimento cognitivo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)