Os “holandeses” de Carambeí e suas línguas: um estudo sobre identidade

Letícia Fraga

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir a identidade manifesta pelos “holandeses” de Carambeí, uma pequena cidade no interior do Paraná, considerada a mais antiga colônia holandesa estabelecida no Brasil no século XX. Para realizar essa discussão, utilizou-se o método etnográfico (SAVILLE TROIKE, 1989). A denominação “holandês” (entre aspas) se deve ao fato de que a comunidade de Carambeí estabelece uma oposição entre “eles”, identificados como “brasileiros” (nascidos no Brasil e não descendentes de holandeses) e “nós”, os “holandeses” (nascidos no Brasil e
descendentes de holandeses). Os dados coletados nessa pesquisa levam-nos a concluir que a identidade manifestada entre os membros dos grupos pesquisados não é homogênea, estável ou uniforme. Ao contrário, ela é inconstante e até mesmo contraditória (MEY, 1998).


Palavras-chave


identidade; pluralidade linguística; bilinguismo português/holandês.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)