Os passos para a construção de sentido pela criança e seu interlocutor no cenário enunciativo.

Suzana Rosa de Almeida, Juliana Perez Kiihl

Resumo


A construção de sentido da palavra não se esgota em uma referência fixa e unissignificativa (LURIA, 1986). A Teoria das Operações Enunciativas comunga essa ideia, acreditando não existir sentidos prévios à materialidade verbal (CULIOLI, 1990; DE VOGUÉ; FRANCKEL; PAILLARD, 2011). O objetivo principal deste artigo é analisar os recursos linguísticos e contextuais utilizados pela criança para estabilizar o sentido de uma palavra. Como corpus, analisaremos o cenário enunciativo de duas crianças, dados pertencentes ao Banco de dados NALíngua (CNPq/UNESP-FCLAr), coordenado por Del Ré. A análise centra-se nas interações lúdicas envolvendo questionamentos, de um lado, da criança em busca da construção de um sentido e, de outro, de seu interlocutor sobre o que ela traz como sentido. Como resultado, mostramos a existência de um jogo contextual, no qual a criança constrói um sentido relacional de palavras, e sinaliza seus primeiros passos criativos no movimento de ajustamento linguístico.

Palavras-chave


Teoria das Operações Enunciativas; processo de construção de sentido; aquisição de linguagem

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, S. R. de. O brincar e seus tons: reflexos do lúdico no processo de aquisição da linguagem. 2015. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação e Saúde na Infância e na Adolescência) – Universidade Federal de São Paulo, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Guarulhos, 2015.

BECHARA, E. (Org.). Dicionário escolar da Academia Brasileira de Letras. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2011.

BENVENISTE, E. Vista d' olhos sobre o desenvolvimento da linguística. In: Problemas de linguística geral. Tradução de Maria da Glória Novak e Maria Luísa Neri, revisão de Isaac Nicolau Salum. São Paulo: Ed da Universidade de São Paulo, 1976.

BEZERRA, P. Prólogo do Tradutor. In: VIGOTSKI, L. S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010. p. VII-XIV.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation: formalisation et opérations de repérage. Paris: Ophrys, 1990.

CULIOLI, A.; NORMAND, C. Onze rencontres sur le langage et les langues. Paris: Ophrys, 2005.

DE VOGUÉ, S.; FRANCKEL, J. J.; PAILLARD, D. Prefácio. In: DE VOGUÉ, S. et al. Linguagem e enunciação: representação, referenciação e regulação. São Paulo: Contexto, 2011.

DEL RÉ, A. A criança e a magia da linguagem: um estudo sobre o discurso humorístico. 2003. 264 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

FRANCKEL, J. J.; PAILLARD, D. Aspectos da Teoria de Antoine Culioli. Tradução de Daniel Costa da Silva. Organon: Porto Alegre, 2006. Disponível em: . Acesso em: 09 jul. 2016.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Artmed, 1986.

ROMERO, M. Um possível diálogo entre a teoria das operações enunciativas e a aquisição: identidade semântica e produtividade discursiva. Alfa, São Paulo, v. 54, n. 2, p. 475-503, 2010.

______. Epilinguismo: considerações acerca de sua conceitualização em Antoine Culioli e Carlos Franchi. ReVEL, v. 9, n. 16, p. 152-163, 2011.

VYGOTSKY, L. S. A Construção do Pensamento e da Linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

YAGUELLO, M. Ah, dedica-se à linguística! In: YAGUELLO, M. Alice no país da linguagem: para compreender a linguística. Lisboa: Editorial Estampa, 1991.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v46i2.1573

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)