Respondibilidade na Rede: a construção das fanarts de Sherlock

Marcela Barchi Paglione

Resumo


Este trabalho se propõe a analisar o estilo nas fanarts, imagens produzidas por fãs, especificamente os do seriado televisivo Sherlock (2010), sob a perspectiva dos estudos do Círculo Bakhtin, Medviédev, Volochínov (BMV). Parte da recepção-ativa do seriado, as fanarts têm sua respondibilidade tão aguçada que re-produzem a obra que as gerou, em um movimento dialético-dialógico (PAULA et ali, 2011) vivo. O objetivo deste artigo é o de identificação dos elementos de produção que remetem ao estilo dos autores, a fim de ressaltar a característica responsiva dos enunciados dos fãs (BAKHTIN, 2011), considerados como um processo de circulação, produção e recepção (trans)midiática de Sherlock, na Rede. Assim, acredita-se ser possível compreender em que medida as fanarts analisadas são respostas ao seriado e como tais enunciados, por sua vez, influenciam a sua constituição e o seu estilo.


Palavras-chave


estilo; Bakhtin; seriado

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. M. Estética da Criação Verbal. Traduzido do russo por Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

DISCINI, N. Bakhtin: contribuições para uma estilística discursiva. In: PAULA, L. de; STAFUZZA, G. (Org.). Círculo de Bakhtin: teoria inclassificável. v. 1. Série Bakhtin – Inclassificável. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

GRILLO, S. V. De C. “Esfera e campo”. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2006.

JENKINS, H. Textual poachers: television fans and participatory culture. Nova Iorque/Londres: Routledge, 1992.

______. Convergence culture: where old and new media colide. Nova Iorque: New York University Press, 2006.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 2008.

MCCLOUD, S. Desvendando os quadrinhos. São Paulo: Makron Books, 1995.

MEDVÍEDEV, P. N. O método formal nos estudos literários. São Paulo: Contexto, 2012.

MORAES, D. de. O concreto e o virtual: mídia, cultura e tecnologia. Rio de Janeiro: DP&A editora, 2001.

PAULA, L. et ali. O marxismo no/do Círculo de Bakhtin. Slovo – O Círculo de Bakhtin no contexto dos estudos discursivos. Appris, Curitiba, v. 1, p. 79-98, 2011.

SHERLOCK: 1ª Temporada. Direção: Euros Lyn, Paul McGuigan, Toby Haynes. Produção de Mark Gatiss, Steven Moffat. Londres: LOG ON, 2010. 2 DVDs (270 min), widescreen, color. Produzido por BBC (UK). Baseado nas obras de Arthur Conan Doyle.

SHERLOCK: 2° Temporada. Direção: Euros Lyn, Paul McGuigan, Toby Haynes. Produção de Mark Gatiss, Steven Moffat. Londres: LOG ON, 2012. 2 DVDs (270 min), widescreen, color. Produzido por BBC (UK). Baseado nas obras de Arthur Conan Doyle.

VAUTHIER, B. Auctoridade e tornar-se autor: nas origens da obra do “Círculo B.M.V.” (BAKHTIN, MEDVEDEV, VOLOCHINOV). In: PAULA, L. de; STAFUZZA, G. (Org.). Círculo de Bakhtin: teoria inclassificável. v. 1. Série Bakhtin – Inclassificável. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

VOLOCHINOV, V. Discurso na vida e discurso na arte (sobre poética sociológica). Tradução de Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza. Circulação restrita. [1926]




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v46i3.1591

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)