A memória e a história a partir de museus e da constituição de arquivos em torno do espaço urbano

Maria Cláudia Teixeira

Resumo


Pelo viés da Análise de Discurso, desenvolvida por Michel Pêcheux na França e pela consolidação da área a partir de Eni Orlandi no Brasil, elegemos o museu, como lugar de memória, que significa o sujeito e o espaço urbano, a partir de estudos de pesquisadores da área. Neste trabalho, problematizamos o lugar de museus na constituição de memórias e imaginários urbanos, tendo como centro o projeto desenvolvido na UNICENTRO/PR, intitulado “Museus e arquivos: lugares de memória do/no espaço urbano”.


Palavras-chave


museu; discurso; memória

Texto completo:

PDF

Referências


AYOUB, D. S. Madeira sem lei: memórias de um conflito fundiário no Paraná. 34º Encontro Anual da ANPOCS. Porto Alegre: 2010.

BERNARDIM, A. C. Colônias suábias em Guarapuava e o efeito discursivo da memória no espaço de imigração: entre a “Velha” e a “Nova” Pátria. 2013. 132 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, Paraná, 2013.

COURTINE, J.-J. Chapéu de Clementis. Observações sobre a memória e o esquecimento na enunciação do discurso político. Tradução de Freda Indursky. In: INDURSKY, F.; FERREIRA, M. C. L. (Org.). Os múltiplos territórios da análise do discurso. Porto Alegre: Sagra/Luzzato, 1999.

NORA, P. Entre mémoire et histoire. La problématique des lieux. In: _______. Les lieux de mémoire. v. I. Paris: Gallimard, 1984.

ORLANDI, E. P. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 6. ed. Campinas: Pontes, 2005.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni P. Orlandi et al. 3. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997 [1975].

VENTURINI, M. C. Imaginário urbano: espaço de rememoração/comemoração. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2009.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v46i3.1636

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)