Proficiência e atitudes linguísticas de estudantes Kaingang de ensino fundamental e médio da terra indígena de Faxinal (Cândido de Abreu/PR): diagnóstico inicial

Elisangela Wilchak Queiroz

Resumo


Resumo: Este trabalho tem como objetivo apresentar um estudo sobre as atitudes manifestadas em relação a língua portuguesa e kaingang por crianças e adolescentes indígenas da Terra Indígena de Faxinal, Município de Cândido de Abreu, PR, estudantes do Colégio Estadual Indígena Professor Sergio Krigrivaya Lucas. Do ponto de vista teórico, para discutir a questão das atitudes linguísticas nos baseamos em Corbari (2012). Metodologicamente, realizamos uma pesquisa quali-quantitativa. Esta foi realizada com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, do referido Colégio Estadual Indígena. Cada aluno respondeu a um questionário de perguntas abertas que permitiram fazer um levantamento sobre as atitudes relativas às línguas Kaingang e portuguesa.

Palavras-chave: Atitudes Linguísticas; Identidade; Língua.


Palavras-chave


atitudes linguísticas; identidade; língua indígena

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, S. A. de. Bilinguismo e Educação Bilíngue Intercultural: os Apinayé e o uso das línguas apinayé e portuguesa nos seus domínios sociais. Anais do VII Congresso Internacional da Abralin, Curitiba, 2011.

AMARAL, L. Bilinguismo, aquisição, letramento e o ensino de múltiplas línguas em escolas indígenas no Brasil. CADERNOS DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA – Faculdade Indígena Intercultural. Editora UNEMAT, 2011.

ANDRIOLI, L. R.; MORI, N. N. R.; FAUSTINO, R. C. Leitura e escrita: estudo sobre a alfabetização e o bilinguismo Kaingang na Terra Indígena Faxinal. Seminário de Pesquisa do PPE, Maringá, 2010.

CAVALCANTI, M. C. Estudos sobre educação bilíngue e escolarização em contextos de minorias linguísticas no Brasil. D.E.L.T.A., v. 15, n. esp., p. 385-417, 1999.

CENSO 2010. Disponível em: .Acesso em: 03 de set. 2015.

CORBARI, C. C. Crenças e Atitudes Linguísticas de Falantes de Irati (PR). Signun Universidade Estadual de Londrina, Paraná, v. 15, n. 1, p. 111-127,2012.

FAUSTINO, R. C. Teoria histórico cultural e educação indígena: uma experiência com a escola dos Kaingang no Paraná. Currículo sem Fronteiras, Maringá, 2012.

FROSI, M. V.; FAGGION, M. C.; DAL CORNO, M. O. G. Estigma: Cultura e Atitudes Linguísticas. Rio Grande do Sul: Ed. EDUCS, 2010.

GARCIA, S. M. de. O papel das atitudes linguísticas na manutenção ou não da língua indígena em comunidades indígenas bilíngues: o caso Ipegue/Terena. Revista Eletrônica Via Litterae, Anápolis, v. 1, n. 1, p. 99-118,2009

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

RODRIGUES, I. C. VENH JYKRE SI: Memória, Tradição e Costume entre os Kaingang da T. I. Faxinal Candido de Abreu Paraná. 2012. 155 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

SPINASSÉ, K. P. Os conceitos Língua Materna, Segunda Língua e Língua Estrangeira e os falantes de línguas alóctones minoritárias no Sul do Brasil. Revista Contingentia, v. 1, n. 1, p. 01-10, 2006.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i1.1942

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)