A construção do ethos refletido nas entrevistas das presidentas Sul-americanas

Paula Camila Mesti

Resumo


Com os deslocamentos epistemológicos que a multiplicação dos gêneros discursivos (principalmente os digitais) possibilitaram, a noção de ethos passou a apresentar muitas dificuldades que resultaram em uma diversidade de trabalhos sobre este tema. Com base em um corpus de entrevistas das presidentas Sul-americanas – Michelle Bachelet, Cristina Kirchner e Dilma Rousseff – e considerando o conceito de ethos discursivo, este artigo tem como objetivo apresentar e discutir os recentes deslocamentos epistemológicos deste conceito, demonstrando gestos interpretativos que evidenciam que o ethos, para além de ser construído pelo destinatário do discurso, pode ser construído nos enunciados das questões feitas pelos jornalistas, nos enunciados das respostas dadas por essas presidentas e nos comentários que os internautas postam no canal YouTube.


Palavras-chave


ethos discursivo; deslocamento epistemológico; ethos refletido; ethos fixado

Texto completo:

PDF

Referências


AMOSSY, R. Dynamiques interactionelles: La gestion collective de l’ethos. In: AMOSSY, R. Le présentation de soi: ethos et identité verbale. Paris : Presses Universitaires de France, 2010. p. 131-144.

AMOSSY, R. L’ethos et ses doubles contemporains perspectives disciplinaires. Revue Langage & Société – Ethos discursif, Paris: Éditions de la Maison des Sciences de l’Homme, n. 149, p. 13-30, 2014.

ARAÚJO, R. P. O panorama da Mulher na condição de esposa e mãe. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2011.

BASSANEZI, C. Mulheres dos Anos Dourados. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das Mulheres no Brasil. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2001. p. 607-639.

CONFORTIN, H. Discurso e Gênero: a mulher em foco. In: GUILHARDI-LUCENA, M. I. (Org.). Representações do feminino. Campinas: Átomo, 2003. p. 107-123.

MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. Campinas: Pontes, 1997.

MAINGUENEAU, D. O contexto da obra literária: enunciação, escritor, sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. Curitiba: Criar Edições, 2005.

MAINGUENEAU, D. Cenas da enunciação. São Paulo: Parábola Editorial, 2008a.

MAINGUENEAU, D. A propósito do Ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (Org.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008b.

MAINGUENEAU, D. Doze conceitos em análise do discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

MAINGUENEAU, D. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, R. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2013.

MAINGUENEAU, D. Retour critique sur l’ethos. Revue Langage & Société – Ethos discursif. Paris: Éditions de la Maison des Sciences de l’Homme, n. 149, p. 31-48, 2014.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

SANDRÉ, M. Ethos et interaction: analyse du débat politique Hollande-Sarkozy. Revue Langage & Société – Ethos discursif. Paris: Éditions de la Maison des Sciences de l’Homme, n. 149, p. 69-84, 2014.

SILVA, J. C. V. da. Análise discursiva dos comentários: textualização e historicidade do/ sobre o Marco Civil da Internet. 2016. 111 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2016.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i3.1970

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)