Aspectos prosódicos das sentenças interrogativas globais do português de São Tomé: uma análise inicial

Gabriela Braga

Resumo


Em São Tomé e Príncipe, apesar de ser um país multilíngue, o português é a língua falada por mais de 90% da população. Embora a norma lusitana standard (SEP) goze de prestígio em todo o país, ela está muito distante da variedade de fato falada pela população. Neste trabalho, ampliamos a descrição da gramática entoacional do português santomense (PST), analisando entoacionalmente as sentenças interrogativas globais neutras (perguntas sim/não de foco amplo), verificando que estas também (tal qual as sentenças declarativas neutras) apresentam características prosódicas que afastam o PST do SEP, tanto em densidade tonal quanto em configuração de contorno nuclear. Além disso, verifica-se semelhanças entre PST e variedades de português brasileiro, aproximando variedades ultramarinas de português.


Palavras-chave


fonologia; entoação; prosódia; português de São Tomé; sentenças interrogativas

Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, M. Reconstrução fonológica e lexical do protocrioulo do Golfo da Guiné. 2017. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. Praat: doing phonetics by computer (Version 5.3.82) [Computer Program], 2014. Versão: 26 julho de 2014. Disponível em: http://www.praat.org. Acesso em: 28 jan. 2016.

BRAGA, G. O padrão entoacional das sentenças neutras do português falado em São Tomé: uma análise preliminar. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 55-70. 2017.

BRAGA, G. Prosódia do português de São Tomé: o contorno entoacional das sentenças declarativas neutras. 2018. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

CARDOSO, S. A. M. S. et al. Atlas linguístico do Brasil. v. 2. Cartas Linguísticas. Londrina: EDUEL, 2014.

CRUZ, M. Prosodic variation in European Portuguese: phrasing, intonation and rhythm in central-southern varieties. 2013. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2013.

FERNANDES, F. R. Ordem, focalização e preenchimento em português: sintaxe e prosódia. 2007. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

FERRAZ, L. I. The creole of São Tomé. Johannesburg: Witwatersrand University Press, 1979.

FROTA, S. Prosody and focus in European Portuguese: phonological phrasing and intonation. New York: Garland Publishing, 2000.

FROTA, S. The intonational phonology of European Portuguese. In: JUN, S.-A. (ed.). Prosodic Typology II. Oxford: Oxford University Press, 2014. p. 6-42.

FROTA, S.; CRUZ, M. (coord.). InAPoP – Interactive Atlas of the Prosody of Portuguese. Projeto de investigação científica. Lisboa: Universidade de Lisboa/FCT (PTDC/CLELIN/119787/2010), 2012-2015.

FROTA, S. et al. Intonational variation in Portuguese: European and Brazilian varieties. In: FROTA, S.; PRIETO, P. (ed.). Intonation in Romance. New York: Oxford University, 2015.

p. 235-283.

HAGEMEIJER, T. As línguas de São Tomé e Príncipe. Revista de Crioulos de Base Lexical Portuguesa e Espanhola, v. 1, p. 1-29. 2009.

HLIBOWICKA-WĘGLARZ, B. A origem dos crioulos de base lexical portuguesa no Golfo da Guiné. Romanica Cracoviensia, Kraków, v. 11, p. 177-185, 2012. Disponível em:

http://bit.ly/2NR3VS2. Acesso em: 28 jun. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). Recenseamento 2012. Disponível em: http://bit.ly/2YR38l1. Acesso em: 01 mai. 2017.

LADD, D. R. Intonational Phonology. 2nd ed. Cambridge: CUP, 2008.

MORAES, J. A. The pitch accents in Brazilian Portuguese: analysis by synthesis. In: BARBOSA, P.; MADUREIRA, S.; REIS, C. (ed.). Speech Prosody 2008: fourth conference on speech prosody. Campinas: [S.n.], 2008. p. 389-397.

MORAES, J. A.; COLAMARCO, M. Você está pedindo ou perguntando? Uma análise entoacional de pedidos e perguntas no português do Brasil. Revista de Estudos da Linguagem, v. 15, p. 113-126, 2007.

NESPOR, M.; VOGEL, I. Prosodic Phonology. 2nd edition. Dordrecht: Foris Publications, 2007.

PIERREHUMBERT, J. The phonology and phonetics of English intonation. 1980. Tese (Doutorado) – M.I.T, Cambridge, Mass, 1980.

ROSIGNOLI, C. C. O padrão entoacional das sentenças interrogativas da variedade paulista do português brasileiro. 2017. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

SANTOS, V. G.; BRAGA, G. Associação tonal em sentenças declarativas neutras do português de Bissau e de São Tomé. PAPIA, v. 27, n. 1, p. 7-32, 2017.

SELKIRK, E. O. Phonology and syntax: the relation between sound and structure. Cambridge: The M.I.T. Press, 1984.

TENANI, L. E. Domínios prosódicos no português do Brasil: implicações para a prosódia e para a aplicação de processos fonológicos. 2002. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

TRUCKENBRODT, H.; SÂNDALO, M. F. S.; ABAURRE, M. B. M. Elements of Brazilian Portuguese intonation. Journal of Portuguese Linguistics, v. 8, p. 75-114, 2009.

VIGÁRIO, M. The prosodic word in European Portuguese. Berlin-New York: Mouton de Gruyter, 2003.

VIGÁRIO, M.; FROTA, S. The intonation of Standard and Northern European Portuguese. Journal of Portuguese Linguistics. Special Issue on Portuguese Phonology edited by W. L. Wetzels, v. 2, n. 2, p. 115-137, 2003.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i2.2323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)