Os desdobramentos da paisagem no romance "Canaã", de Graça Aranha

Regina Célia dos Santos Alves

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo o estudo dos desdobramentos da paisagem no romance Canaã, de Graça Aranha, a partir de discussões contemporâneas em torno do conceito de paisagem. No romance, é na discussão acerca da imigração alemã assentada no então selvagem e ainda quase intocado estado do Espírito Santo, construindo seu enredo em torno especialmente da personagem Milkau, um imigrante alemão, que questões ligadas ao ser do Brasil vão se desenhando pelas páginas do romance. Dessa maneira, interessa-nos, para este trabalho, abordar o movimento de paisagens que transitam por Canaã, em especial, a partir da perspectiva de Milkau, nas quais se inscrevem não apenas a materialidade de um lugar, a concretude de suas formas, cores, texturas e sons, mas uma ideia sobre o Brasil e a projeção de um imaginário utópico para o país, encerrado no emblemático título do romance, Canaã. 


Palavras-chave


Graça Aranha; Canaã; paisagem

Texto completo:

PDF

Referências


ARANHA, G. Canaã. 2. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

BLOCH, E. O princípio esperança. Tradução Nélio Schneider. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2005. 3 vols.

COLLOT, M. Poética e filosofia da paisagem. Tradução Ida Alves et al. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2013.

HARDMAN, F. F. Antigos modernistas. In: NOVAES, A. (org.). Tempo e História. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

MANNHEIM, K. Ideologia e utopia. Tradução Sérgio Magalhães Santeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1968.

MARANDUELO, J. Prólogo. In: BERQUE, A. El pensamiento paisajero. Tradução Maysi Veuthey. Madrid: Biblioteca Nueva, 2009.

MÜNSTER, A. Utopia, messianismo e apocalipse nas primeiras obras de Ernst Bloch. Tradução Flávio Beno Siebeneichler. São Paulo: EDUNESP, 1997.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i3.2356

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)