A crença nas palavras: (des)construções lexicais em antropônimos de líderes religiosos

Carlos Alexandre Victorio Gonçalves

Resumo


Neste artigo, tomamos por base formações expressivas oriundas de prenomes ou sobrenomes de personagens polêmicos na esfera religiosa, a exemplo de “Pedir Mais Cedo” e “Silas Mala Cheia”, desconstruções lexicais advindas de antropônimos de dois conhecidos pastores neopentecostais: Edir Macedo e Silas Malafaia. Nossa principal meta é mapear os processos morfossemânticos envolvidos nessas cunhagens e observar a gama de estratégias de que se vale o falante na expressão de pontos de vista através de (re)análises morfológicas.


Palavras-chave


morfologia; cruzamento vocabular; analogia; criatividade

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. L. L.; GONÇALVES, C. A. Bases semântico-cognitivas para a diferenciação de cruzamentos vocabulares em português. Revista Portuguesa de Humanidades, Braga: Faculdade de Filosofia da UCP, p. 45-59, 2007.

ANDRADE, K. E. Entranhamento lexical, combinação truncada e analogia: Estudo timalista sobre padrões de Cruzamento Vocabular. In: GONÇALVES, C. A. (org.). Otimalidade em foco: morfologia e fonologia do português. Rio de Janeiro: Publit Soluções editoriais, 2009.

p. 123-145.

ANDRADE, K. E.; RONDININI, R. As “ianes” do porão: análise morfo-pragmática das atuais construções X-iane. SCRIPTA, Belo Horizonte, v. 20, n. 38, p. 121-147, 2016.

BASILIO, M. M. P. Fusão vocabular expressiva: um estudo da produtividade e da criatividade em construções lexicais. In: XXV Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística, Porto: APL, p. 201-210, 2010.

BASILIO, M. M. P. A fusão vocabular como processo de formação de palavras. In: Anais do IV Congresso Internacional da ABRALIN. Salvador: UFBA, 2005. p. 1-15.

BASILIO, M. M. P. Teoria Lexical. São Paulo: Ática, 1987.

BENFICA da SILVA, V. O cruzamento vocabular formado por antropônimos: análise morfológica e fonológica. 2019. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

BECKMANN, J. N. Positional Faithfulness. Massachussets: Amherst, 1998.

HENRIQUES, C. C. Morfologia: estudos lexicais em perspectiva sincrônica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

GONÇALVES, C. A. Atuais tendências em formações de palavras. São Paulo: Contexto, 2016.

GONÇALVES, C. A. Blends lexicais em português: não-concatenatividade e correspondência. Veredas (UFJF), Juiz de Fora, v. 7, n. 1-2, p. 149-167, 2003.

GONÇALVES, C. A.; ANDRADE, K. E.; ALMEIDA, M. L. L. Se a macumba é para o bem, então é boacumba: análise morfoprosódica e semântico-cognitiva da substituição sublexical em português. Linguística, Rio de Janeiro, v. 6, p. 64-82, 2010.

GONÇALVES, C. A. V. A. et al. Para uma estrutura radial das construções X-ão do português do Brasil. In: ALMEIDA, M. L. et alli. (org.). Linguística Cognitiva em foco: morfologia e semântica. Rio de Janeiro: Publit, 2010. p. 141-156.

PIÑEROS, C. E. The creation of port manteaus in the extragrammatical morphology of spanish. Iowa: University of Iowa, 2002.

SANDMANN, A. J. Morfologia lexical. São Paulo: Contexto, 1989.

SOUZA, E. F. R.;GONÇALVES, C. A. V. Linguística Textual e Morfologia. In: FRANCISCO DE SOUZA, E.; PENHAVEL, E.; CINTRA, M. R. (org.). Linguística textual – Interfaces e delimitações - Homenagem a Ingedore Grünfeld Villaça Koch. v. 1. São Paulo: Cortez, 2018. p. 144-188.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i2.2446

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)