A pronúncia variável de /t, d/ diante de [i] na fala de migrantes sergipanos em São Paulo

Autores

Palavras-chave:

contato dialetal, redes sociais, migrantes sergipanos, palatalização de /t, d/

Resumo

Este artigo analisa os usos de /t, d/ diante de [i], na fala de migrantes sergipanos residentes em São Paulo, pressupondo-se que eles estão mudando seu modo de falar de acordo com os contatos que estabelecem (ou não) com paulista(no)s. A partir de uma amostra com 27 entrevistas sociolinguísticas, de integrantes de duas redes sociais diferentes, testa-se a hipótese de que os sujeitos da rede aberta (que estabelecem mais contato com paulistas) palatalizam mais frequentemente /t, d/ em relação aos da rede fechada. Averigua-se também o efeito de outros fatores sociais e linguísticos. As análises revelam que idade de migração e sua interação com escolaridade são relevantes para os usos dos sujeitos: os que migraram mais jovens e que estudaram em São Paulo apresentam maiores taxas de palatalização. Dentre as variáveis linguísticas pertinentes ao fenômeno, estão sonoridade e contexto fonológico precedente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

27-12-2021

Como Citar

Santana, A. de L. (2021). A pronúncia variável de /t, d/ diante de [i] na fala de migrantes sergipanos em São Paulo. Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978), 50(3). Recuperado de https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/2969

Edição

Seção

Artigos