O papel dos gramáticos: observações a partir de Júlio Ribeiro e suas Cartas Sertanejas

Hélcius Batista Pereira

Resumo


O presente estudo visa a estudar o discurso sobre as normas da língua em textos de um dos gramáticos brasileiros mais singulares: Júlio Ribeiro. Partindo de uma avaliação teórica sobre a(s) norma(s) da língua, a normatização, a dominação e a luta pelo poder simbólico no campo linguístico, propomo-nos a investigar os critérios de Ribeiro para a codificação da língua e o uso que faz da norma explícita nas polêmicas em que se vê envolvido. Procuraremos mostrar que a norma codificada é critério integrante do habitus da elite intelectual da época, sendo, portanto, instrumento fundamental para a sanção dos discursos em pauta. A proposta de uma gramática assentada no método scientifico, levada a cabo por Júlio Ribeiro, baseada nos estudos histórico-comparativos, só amplia o poder do critério normativo da língua, favorecendo o gramático nos embates pelo poder simbólico de sua época.


Palavras-chave


Júlio Ribeiro; normatização; norma da língua; habitus; dominação legal, gramáticos

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. Questões de sociologia. Lisboa: Fim de Século, 2003.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo: Edusp, 2008.

COAN, Giovanna Ike. Um homem de sciencia: Júlio Ribeiro, sua gramática e suas polêmicas. No prelo.

LEITE, Marli Quadros. Variação linguística: dialetos, registros e norma linguística. In: SILVA, Luiz Antônio (Org.) A língua que falamos. Português: história, variação e discurso. São Paulo: Globo, 2005. p. 183-210.

NASCIMENTO, José Leonardo. Júlio Ribeiro: ciência, política e arte. In: RIBEIRO, Júlio. Cartas Sertanejas / Procellarias. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo/FUNDAP, 2007. [Edição fac-símile de publicação de 1908]

OLIVEIRA, Marilza et al. Perfil das escolas: fins do XIX e início do XX. In: AGUILERA, Vanderci (Org.) Para história do português brasileiro. Londrina: Eduel, 2009. v. VII, Tomo II, p. 601-630.

RIBEIRO, Júlio. Cartas Sertanejas / Porcellarias. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo/Fundap. Edição fac-símile de publicação de 1908, 2007.

WEBER, Max. Os três tipos puros de dominação legítima In: COHN, Gabriel (Org.) Max Weber: sociologia. São Paulo: Ática, 2005. [Coleção Grandes Cientistas Sociais].


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)