Separando o joio... do petismo moderado do trigo… da turma radical: o substantivo em dimensão discursiva

Patricia Ferreira Neves Ribeiro

Resumo


No âmbito de uma abordagem discursivo-enunciativa, o presente trabalho objetiva examinar o substantivo segundo seu papel argumentativo.Para a elaboração da pesquisa, selecionamos, no quadro do domínio midiático, textos filiados ao gênero textual artigo de análise assinado e publicados, na última década, pelo Jornal do Brasil. Em termos metodológicos, examinamos, sob a ótica da Linguística da Enunciação “ampliada” e “restrita” (KERBRAT-ORECCHIONI, 1980), o emprego do substantivo na confecção de um frequente procedimento linguístico do discurso midiático: a recriação de ditos populares. Com o intuito de investigar o papel argumentativo do substantivo e, em decorrência, a imagem, a partir daí, elaborada pelo sujeito argumentador, assumimos o arcabouço teórico da análise do discurso de orientação semio-linguística de Patrick Charaudeau no âmbito do contrato midiático.


Palavras-chave


substantivo; recriação de ditos populares; argumentação

Texto completo:

PDF

Referências


BÁRBARA, L. Um certo recurso malicioso da mídia no uso do substantivo. In: SANTOS, L. W. dos (Org.). Discurso, coesão, argumentação. Rio de Janeiro: Oficina do Autor, 1996. p. 96-110.

CHARAUDEAU, P. Grammaire du sens et de l`expression. Paris: Hachette, 1992.

CHARAUDEAU, P. Identité sociale et identité discursive, le fondement de la compétence communicationnelle. Revista Gragoatá, Niterói, v. 17, p. 339-354, 1996.

CHARAUDEAU, P. Discurso político. São Paulo: Contexto, 2006a. 328 p.

CHARAUDEAU, P. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2006b. 285 p.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e Discurso: modos de organização. São Paulo: Contexto, 2008. 256p.

ERNANI, T.; NICOLA, J. de. Gramática, literatura e produção de textos para o ensino médio: curso completo. São Paulo: Scipione, 2004. 463p.

GRÉSILLON, A.; MAINGUENEAU, D. Polyphonie, proverbe et détournement. Langages, Paris, n. 73, p. 112-125, mar. 1984.

KERBRAT-ORECCHIONI, C. L’énonciation de la subjectivité dans le langage. Paris: Armand Colin, 1980.

LYSARDO-DIAS, D. Provérbios que são notícia: uma análise discursiva. 2001. 276 fl. Tese (Doutorado em Letras. Área de Concentração: Língua Portuguesa) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2001.

MAGALHÃES JÚNIOR, R. Dicionário brasileiro de provérbios, locuções e ditos curiosos. Rio de Janeiro: Documentário, 1974. 330p.

MAIA, J. D. Português. São Paulo: Ática, 2005. 496p.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008. 295p.

VILLAS-BÔAS CORRÊA, L. A. C. Aliado na contramão. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 5 ago. 1998. [Primeiro Caderno, p. 6].

VILLAS-BÔAS CORRÊA, L. A. C. Compromisso com a isenção. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 6 nov. 2002. [Primeiro Caderno, p. 6].

VILLAS-BÔAS CORRÊA, L. A. C. O beco. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 17 maio 2006. [Primeiro Caderno, p. 7].

VILLAS-BÔAS CORRÊA, L. A. C. Encrencas da herança bendita. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21 mar. 2007. [Primeiro Caderno, p. 7].


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)