Linguística Sistêmico-Funcional e Análise Crítica do Discurso: explorando convergências e explicitando especificidades

Paulo Roberto Gonçalves Segundo

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir as convergências teóricas e as especificidades intrínsecas à Linguística Sistêmico-Funcional (LSF) e à Análise Crítica do Discurso (ACD), buscando mostrar de que maneira as categorias analíticas e os pressupostos teóricos inerentes à primeira permitem analisar, pormenorizadamente, fenômenos linguístico-discursivos. Para isso, buscou-se apresentar um breve histórico do surgimento da ACD, seus principais conceitos, destacando a noção de ordem do discurso e de formação semiótica, para, na sequência, delinear as principais propriedades da semiose, segundo a visão sistêmico-funcional, de modo a se estabelecerem importantes aproximações e afastamentos em relação à perspectiva crítico-discursiva, além de mostrar a vantagem de se promover o diálogo entre as duas abordagens.


Palavras-chave


Linguística Sistêmico-Funcional; Análise Crítica do Discurso; ordem do discurso

Texto completo:

PDF

Referências


ADAM, J. M. A Linguística Textual: introdução à análise textual dos discursos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011. 373 p.

FAIRCLOUGH, N. Analysing Discourse: textual analysis for social research. London: Routledge, 2007. 270 p.

FAIRCLOUGH, N. Critical Discourse Analysis: the critical study of language. 2nd ed. Harlow: Longman Applied Linguistics, 2010. 591 p.

FAIRCLOUGH, N.; JESSOP, B.; SAYER, A. Critical realism and semiosis. In: FAIRCLOUGH, N. Critical Discourse Analysis: the critical study of language. 2nd ed. Harlow: Longman Applied Linguistics, 2010. p. 202-222.

FIGUEREDO, G. P. Introdução ao perfil metafuncional do português brasileiro: contribuições para os estudos multilíngues. 2011. 383 f. Tese (Doutorado em Letras. Área de Concentração: Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2011.

GIDDENS, A. A constituição da sociedade. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

GONÇALVES SEGUNDO, P. R. Tradição, estabilidade e dinamicidade nas práticas discursivas: um estudo da negociação intersubjetiva na imprensa paulistana. 2011. 447 f. Tese (Doutorado em Letras. Área de Concentração: Língua Portuguesa). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

HALLIDAY, M. Methods – techniques – problems. In: HALLIDAY, M. A. K.; WEBSTER, J. (Org.). Continuum Companion to Systemic Functional Linguistics. London: Continuum International, 2009. p. 59-86.

HALLIDAY, M.A.K.; MATTHIESSEN, C. Introduction to Functional Grammar. 3rd ed. London: Hodder Arnold, 2004. 689 p.

HASAN, R. The place of context in a systemic functional model. In: HALLIDAY, M. A. K.; WEBSTER, J. (Org.) Continuum Companion to Systemic Functional Linguistics. London: Continuum International, 2009. p. 166-189.

HODGE, R.; KRESS, G. Language as ideology. 2nd ed. London/New York: Routledge, 1993.

LANGACKER, R. Cognitive Grammar. In: GEERAERTS, D.; CUYCKENS, H. (Org.) The Oxford Handbook of Cognitive Linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007. p. 421-462.

LEMKE, J. Textual politics: Discourse and Social Dynamics. London: Taylor & Francis, 2005.

MARTIN, J.; WHITE, P. The language of evaluation: appraisal in English. New York; Hampshire: Palgrave Macmillan, 2005.

MATTHIESSEN, C. Ideas and new directions. In: HALLIDAY, M.A.K.; WEBSTER, J. (Org.). Continuum Companion to Systemic Functional Linguistics. London: Continuum, 2009. p. 12-58.

MATTHIESSEN, C. I. Systemic Functional Linguistics as appliable linguistics: social accountability and functional approaches. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 28, n. esp., p. 435-471, 2012. Disponível em: Acesso em: 27 set. 2013.

TAVERNIERS, M. The syntax–semantics interface in systemic functional grammar: Halliday’s interpretation of the Hjelmslevian model of stratification. Journal of Pragmatics, n. 43, p. 1100-1126, 2011.

WODAK, R. Do que se trata a ACD – um resumo de sua história, conceitos importantes e seus desenvolvimentos. Linguagem em (Dis)curso – LemD, Tubarão, v. 4, n. especial, p. 223-243, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)