Elaboração de diários pessoais: a função de suplência da escrita

Viviane Dinês de Oliveira Ribeiro Bartho

Resumo


Os sujeitos desta pesquisa são adolescentes em situação de acolhimento. A falta de engajamento deles nas atividades pedagógicas e a posição vitimizada que assumiam constituíram nosso problema central. Propôs-se a elaboração de diários pessoais, com o objetivo de investigar o problema delimitado e os efeitos subjetivos da escrita. Resultados apontam para uma função terapêutica dos diários: a escrita neles teria função de suplência, a partir da qual o sujeito simboliza suas angústias e evita a realização do ato. A análise, segundo uma perspectiva francesa do discurso e conceitos da psicanálise lacaniana, permitiu compreender os diários como espaço para a singularidade, o que atenderia a uma demanda de ordem psicanalítica.


Palavras-chave


adolescentes abandonados; diários pessoais; escrita terapêutica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, L. Aparelhos Ideológicos de Estado. 2. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985. 120 p.

BARTHO, V. D. de O. Ribeiro. Parrhesía foucaultiana: uma análise discursiva de correspondências sobre correção de textos. 2008. 79 f. Monografia – Universidade de Taubaté, Taubaté.

BIRMAN, J. O sujeito desejante na contemporaneidade. Seminário de Estudos em Análise do Discurso. Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005. 15 p.

CASTORIADIS, C. A instituição Imaginária da Sociedade. 3. ed. Tradução de Reymund, G. São Paulo: Paz e Terra, 1995. 418 p.

CORACINI, M. J. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade: línguas (materna e estrangeira), plurilinguismo e tradução. Campinas: Mercado de Letras, 2007. 247 p.

COURTINE, J. J.; HAROCHE, C. O Homem perscrutado: semiologia e antropologia política da expressão e da fisionomia do século XVII ao século XIX. In: ORLANDI, E. et al. Sujeito e Texto. São Paulo: EDUSC. 1988. p. 37-60.

FERRETTI, M. C G. O Infantil: Lacan e a modernidade. Petrópolis: Vozes, 2004. 151 p.

FILIPOVIC, Z. O diário de Zlata: a vida de uma menina na guerra. 8. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. 184 p.

FORBES, J. Você quer o que deseja? 8. ed. Rio de Janeiro: BestSeller, 2010. 208 p.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 37. ed. Petrópolis: Vozes, 1987. 254 p.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: a vontade de saber. 15. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988. 149 p.

FOUCAULT, M. Escrita de si. In: FOUCAULT, M. Ética, Sexualidade, Política. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. p. 144-162.

FREEDOM W. Direção e Roteiro: Richard LaGravenese. Intérpretes: Hilary Swank, Patrick Dempsey e outros. Produção: Danny DeVito. Estados Unidos/Alemanha, 2007. 1 DVD (122 min).

FREUD, S. O mal-estar na civilização. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1997. 93 p.

GODOY, M. L. N. Redação de vestibular: para além de uma prova, a escrita de si e os efeitos dos comentários do corretor de textos. 2006. 114 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade de Taubaté, Taubaté, 2006.

HALL, S. Quem precisa da identidade? In: SILVA, T. T. da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 103-133.

LACAN, J. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998. 944 p.

LACAN, J. O Seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008. 267 p.

PÊCHEUX, M. Discurso e ideologia(s). In: PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni P. Orlandi et al. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1988. p. 139-185. [Tradução de Les vérités de la Palice].

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, F.; HAK, T. (orgs.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução de Bethânia S. Mariani et al. Campinas: Ed. UNICAMP, 1990. 319 p.

REVEL, J. Michel Foucault: conceitos essenciais. Tradução de Carlos Piovezani Filho e Nilton Milanez. São Carlos: Claraluz, 2005. 87 p.

UYENO, E. Y. A dogmatização da teoria: a contradição como negação da falta no discurso do professor de línguas. 2002. 340 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

UYENO, E. Y. “Blog”: o efeito terapêutico como economia do dispositivo confessional. In. Seminário Internacional Michel Foucault: perspectivas. Florianópolis: Clicdata Multimídia Ltda., 2004. 12 p.

UYENO, E. Y. Hermenêutica de si mesmo: escrita acadêmica, parrhesía e subjetividade. In: SILVA, E. R. da; UYENO, E. Y.; ABUD, M. J. M. (Org.). Cognição, Afetividade e Linguagem. Taubaté: Cabral Editora e Livraria Universitária, 2007. p. 76-94.

UYENO, E. Y. Morador de rua no ciberespaço: a incluir-se no discurso da ética do desejo. In: CORACINI, M. J. (Org.). Identidades Silenciadas e (In)visíveis: entre a inclusão e a exclusão. Campinas: Pontes, 2011. p. 31-51.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i3.591

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)