Epêntese vocálica em posição medial de palavras em esperanto

Karina Gonçalves de Souza de Oliveira

Resumo


O objetivo deste experimento é verificar se há epêntese vocálica em encontros consonantais em posição medial da palavra, em situações permitidas na língua portuguesa, mas que supostamente são proibidas em esperanto. Com isso, pretende-se dar um passo a mais no entendimento da estrutura silábica desta língua, que ainda não tem seus postulados teóricos suficientemente estabelecidos, e verificar a possível influência da L1 (português) na realização fonética da L2 (esperanto).


Palavras-chave


fonologia; esperanto; epêntese vocálica; fonética experimental.

Texto completo:

PDF

Referências


BAVANT, M. Perkomputila silaba analizo de la vortprovizo de PIV 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2014.

BAVANT, M. Silabo kaj Silabado. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2014.

CATFORD, J. C. A Practical Introduction to Phonetics. New York: Oxford University Press, 1994. 230 p.

COLLING, I. E. Comparação entre os sistemas fonéticos do esperanto e do português. 2012. 61 p. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2014.

COLLISCHONN, G. Epêntese vocálica e restrições de acento no português do sul do Brasil. Signum: estudos da linguagem, v.7, n.1, 2004. 18 p. Disponível em: . Acesso em: 07 jan. 2015.

COLLISCHONN, G. Sílaba. In: COLLISCHONN, G. Fonologia do português brasileiro, da sílaba à frase. Porto Alegre: UFRGS, 2006. 114 p.

FERREIRA NETTO, W. Introdução à fonologia da língua portuguesa. São Paulo: Paulistana, 2011. 222 p.

OOSTENDORP, M. van. Syllable structure in Esperanto as an instantiation of universal phonology. Esperantologio – Esperanto Studies, n.1, p. 59-80, 1999. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2014.

STEVENS, K. N. Acoustic Phonetics. Cambridge (Massachusetts)/London: The MIT Press, 2000. 624 p.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i1.604

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)