O neologismo semântico na trova humorística: o entrelaçamento sui generisentre humor e poesia

Pedro da Silva de Melo

Resumo


Entre as diversas possibilidades de criatividade lexical, a neologia semântica ocupa um lugar privilegiado, pois, ao ressignificar lexemas já existentes na língua, enseja infinitas possibilidades sêmicas. Os neologismos semânticos, assim como os sintagmáticos, também apresentam um forte potencial criativo de significados. Dentro dessa perspectiva, este trabalho possui como objetivo analisar a expressividade de neologismos semânticos na trova humorística, um gênero poético em que o humor e a poesia se entrelaçam, tendo os neologismos não como mera exibição de conhecimento linguístico, mas um de seus diversos procedimentos discursivos de constituição de sentido.

 


Palavras-chave


Poesia; Humor; Trova; Neologismo semântico; Expressividade

Texto completo:

PDF

Referências


Gerais:

ALVES, Ieda Maria. Neologismo:criação lexical. São Paulo: Ática, 1990.

BARBOSA, Maria Aparecida. Da neologia à neologia na literatura. In: OLIVEIRA, Ana Maria Pinto Pires de; ISQUIERDO, Aparecida Negri (Org.). As ciências do léxico:lexicologia, lexicografia e terminologia. Campo Grande: UFMS, 1998.

CALÇADA, Guiomar Fanganiello. A seleção lexical e a construção do sentido. Anais do IX Encontro Nacional da Anpoll.Vol. 2. Caxambu (MG): ANPOLL, 1994.

CARDOSO, Elis de Almeida. A criação neológica estilística. In: ALVES, Ieda Maria. Neologia e neologismos em diferentes perspectivas.São Paulo: Paulistana, 2010.

CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão.8. ed. São Paulo: Ática, 2004.

CRESSOT, Marcel. O estilo e suas técnicas.Tradução de Madalena Cruz Ferreira. Lisboa: Edições 70, 1980.

FERRAZ, Aderlande Pereira. Neologismos semânticos na publicidade impressa: uma abordagem cognitivista. In: ISQUIERDO, Aparecida Negri; FINATTO, Maria José Bocorny (Org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. Campo Grande: UFMS, 2008. v. IV.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa.Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Metaphors we live by. Chicago: University of Chicago Press, 1980.

PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a Nova Retórica. Tradução de Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

POSSENTI, Sírio. Os humores da língua: análises linguísticas de piadas. Campinas: Mercado de Letras, 1998.

PRETI, Dino. A linguagem proibida: um estudo sobre a linguagem erótica. São Paulo: LPB, 2010 [1984].

RASKIN, Victor. Semantic mechanisms of humor.Dordrecht Boston: D. Reidel Pub. Co. Hingham, MA: Sold and distributed in the U.S.A. and Canada by Kluwer Academic Publishers Group, 1985.

RIO-TORTO, Graça. Caminhos de renovação lexical: fronteiras do possível. In: ISQUIERDO, Aparecida Negri; ALVES, Ieda Maria (Org.). As ciências do léxico:lexicologia, lexicografia, terminologia. Volume III. Campo Grande: Editora UFMS, São Paulo: Humanitas, 2007.

SOUZA, Vivian Regina O. G. Vocabulário erótico-obsceno dos órgãos sexuais masculino e feminino em português e italiano.Dissertação de Mestrado. São José do Rio Preto: Unesp, 2007.

WANKE, Eno Teodoro. A trova. Rio de Janeiro: Pongetti, 1973.

Corpus:

MAIA, Edmar Japiassú. Prismas.Rio de Janeiro: Editora do Poeta, 2007.

MAIA, Edmar Japiassú. Acalantos.Cachoeirinha (RS): Texto certo, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)