O funcionamento da paráfrase discursiva: constituição do sujeito e dos sentidos na produção do conhecimento dos anos de 1950

Caroline Mallmann Schneiders

Resumo


A reflexão que iremos empreender recairá, sobretudo, no modo de inscrição do sujeito no processo discursivo, a fim de observarmos os efeitos de sentidos que resultam dessa inscrição. Esse funcionamento será analisado a partir de recortes discursivos referentes ao conceito de língua veiculado nos estudos sobre a língua portuguesa dos anos de 1950. Os recortes selecionados dizem respeito às obras Introdução ao Estudo da Língua Portuguêsa no Brasil e Manual de Filologia Portuguesa, ambas de Serafim da Silva Neto. Para tanto, nos filiamos aos pressupostos teórico-metodológicos da Análise de Discurso de orientação pecheuxtiana e à História das Ideias Linguísticas, mobilizando, sobretudo, a noção de paráfrase discursiva, a qual nos permite compreender a constituição dos sentidos e do sujeito.


Palavras-chave


sujeito; língua; discurso.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)