A língua portuguesa em situação de tensão/interdição em Timor-Leste

Simone Michelle Silvestre

Resumo


Este artigo tem o objetivo de analisar discursivamente o lugar que a Língua Portuguesa, enquanto língua oficial do Estado e do Poder, ao lado do Tétum, ocupa com relação às outras línguas que circulam em Díli, capital de Timor-Leste. Mais especificamente, analisar, em um determinado conjunto de sequências discursivas produzido após a independência do país, em 2002, enunciados de diferentes sujeitos a respeito do português, das línguas nacionais e do inglês e o indonésio, ambos com estatuto de línguas de trabalho. Para a análise de tais sequências, adotaremos conceitos do campo da Análise do Discurso (AD), sob a perspectiva da filiação pechêutiana, como discurso, ideologia/formação ideológica, posição sujeito e formação discursiva.


Palavras-chave


língua portuguesa; interdição; Timor-Leste.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)