Por uma história da argumentação: das rupturas de sentido(s) no século XX

Débora Massmann

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar formulações produzidas em torno da palavra argumentação em diferentes épocas mostrando seu(s) funcionamento(s) de sentido nas ciências humanas. A partir da Semântica da Enunciação (GUIMARÃES, 2002), este estudo analisa o(s) funcionamento(s) de sentido(s) da palavra argumentação nas teorias argumentativas produzidas na década de 50 do século XX. Como corpus de estudo, selecionou-se uma obra de referência para os estudos da argumentação, a saber, The uses of argument (1958), de Toulmin. Os resultados permitem compreender as signifi cações do conceito de argumentação e conhecer a apropriação desse conceito nas rupturas teórico-metodológicas que a argumentação tem produzido na história das teorias linguísticas do século XX.


Palavras-chave


história; sentido; argumentação

Texto completo:

PDF

Referências


ANSCOMBRE, J. C.; DUCROT, O. (1988). L’Argumentation dans la langue. 2. ed. Bruxelles: Mardaga, 1989. 184p.

BRÉAL, M. Ensaio de semântica. Ciência das signifi cações. 2ed. Campinas: RG Editores, 2008. 223p.

GUIMARÃES, E. A enumeração, funcionamento enunciativo e sentido. Cadernos de Estudo Linguísticos, Campinas, v. 51, n. 1, p. 71-88, 2009.

GUIMARÃES, E. Domínio semântico e determinação. In: GUIMARÃES, E. MOLLICA, M. C. A palavra: forma e sentido. Campinas: Pontes, 2007. p. 79-100.

GUIMARÃES, E. Semântica do acontecimento. Campinas: Pontes, 2002. 96p.

GUIMARÃES, E. Textualidade e enunciação. In: Escritos 2. Publicação do Laboratório de Estudos Urbanos. Unicamp. (s/d). Disponível em < http://www.labeurb.unicamp.br/portal/pages/pdf/escritos/Escritos2.pdf>. s/d. Acesso em: 08 jul. 2014.

ORLANDI, E. Segmentar ou Recortar. Revista Lingüística: questões e controversias, Uberaba, Fiube. p. 9-26, 1987.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado de argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria de Ermantina de Almeida Prado Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2002. 653p.

PLANTIN, C. L’argumentation. histoires, théories et perspectives Paris: PUF, 2005. 127p.

PLANTIN, C. L’argumentation. Paris: Seuil, 1996. 97p.

PLANTIN, C. (Org.). Lieux communs, topoï, stéréotypes, clichés. Paris: Kimé, 1993. 310p.

PLANTIN, C. Essais sur l’ argumentation. Paris: Kimé, 1990. 289p.

SANTOS, G. L. Enunciação, designação e metáfora: um estudo sobre o político na linguagem. Entremeios. n. 6 jan. 2013. Disponível em . Acesso em: 8 jul. 2014.

TOULMIN, S. E. Os usos do argumento. Tradução de Reinaldo Guarany. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006. 375p.

VAN EEMEREN, F. H. Consideren la brecha: conciliando la búsqueda del éxito con la persistencia de la razonabilidad. In: SANTIBAÑEZ YÁNEZ, C.; RIFFO OCARES, B. (Ed.). Estudios en argumentación y retórica: teoría contemporánea y aplicaciones. Concepción: Universidad de Concepción, 2007. p. 57-81


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)