Relações de ensino e linguagem: reflexões a partir da análise microgenética

Evani Andreatta Amaral Camargo, Ana Paula de Freitas

Resumo


A partir da análise de um episódio de um sujeito com oito anos, do sexo masculino, que apresenta singularidades em seu processo de desenvolvimento linguístico-cognitivo, tendo como espaço de observação o contexto escolar e as interações aí estabelecidas, pretendemos compreender, nas relações intersubjetivas, os processos de signifi cação elaborados entre ele e a professora. A análise de cunho microgenético nos permitiu identifi car, mesmo com uma produção linguística restrita, processos de signifi cação complexos, que revelam marcas de subjetividade, bem como a construção conjunta dos projetos de dizer, realizados por ele e seus interlocutores. Apesar de suas difi culdades linguísticas, seu intuito discursivo pode ser efetivado pela construção conjunta de sentidos no processo de interlocução.


Palavras-chave


teoria histórico-cultural; análise microgenética; desenvolvimento linguístico- -cognitivo

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofi a da Linguagem. São Paulo: Hucitec, 1995. 196p.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 476p.

FREITAS, A. P. de. Um estudo sobre as relações de ensino na educação inclusiva: indícios das possibilidades de desenvolvimento e aprendizagem. Rev. bras. educ. Espec., v. 18, n. 3, set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 9 out. 2014.

GINZBURG, C. Chaves do Mistério: Morelli, Freud e Sherlock Holmes. In: ECO, U.; SEBEOK, T. A. O Signo de Três. São Paulo: Perspectiva, 1991. p. 89-129.

GÓES, M. C. R. de. A abordagem microgenética na matriz histórico-cultural: uma perspectiva para o estudo da constituição da subjetividade. Cadernos Cedes, ano 20, n. 50, p. 9-25, abr. 2000.

LABOV, W. Language in the inner city: studies in the Black English Vernacular. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972. 440p.

SMOLKA, A. L. B. Ensinar e signifi car: as relações de ensino em questão ou das (não) coincidências nas relações de ensino. In: SMOLKA, A. L. B.; HORTA, A. L. H. (Org.). Questões de desenvolvimento humano: práticas e sentidos. Campinas: Mercado das Letras, 2010. p. 107-128.

SMOLKA, A. L. B.; GÓES, M. C. R.; PINO, A. A constituição do sujeito: uma questão recorrente. In: WERTSCH, J.; DEL RÍO, P.; ALVAREZ, A. (Org.). Estudos socioculturais da mente. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 143-158.

VYGOTSKI, L. S. Problemas Del desarrollo de la psique. Madrid: Visor Distribuiciones, S.A., 1995. 383p. (Obras Escogidas, v. III).

VYGOTSKI, L. S. A Construção do Pensamento da Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 496p.

WERTSCH, J. V. Vygotsky and the social formation of mind. Cambridge, Mass.: HarvardUniversity Press, 1985. 262p.

WERTSCH, J. V; HICKMANN, M. Problem solving in social interaction: a microgenetic analysis. In: HICKMANN, M. (Org.). Social and functional approaches to language and thought. Nova York: Academic Press, 1987. p. 251-265.

ZANELLA, A. V. et al. Questões de método em textos de Vygotski: contribuições à pesquisa em psicologia. Psicol. Soc., Porto Alegre, v. 19, n. 2, ago. 2007. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)