Salvando o Brasil: uma análise discursiva de campanhas evangelísticas da JMN

Daiane Rodrigues de Oliveira Bitencourt

Resumo


O alvo deste artigo é analisar campanhas evangelísticas da Junta de Missões Nacionais da igreja Batista. Para tanto, utiliza os postulados teóricos da Análise do Discurso, mais especificamente, as postulações de Mainguneau a respeito dos discursos constituintes. O corpus da pesquisa é formado por um conjunto de materiais de campanhas da Junta de Missões Nacionais. O resultado da pesquisa mostra que o discurso batista constrói uma imagem de seu outro como aquele que precisa ser evangelizado. Essa imagem é sustentada em uma série de estereótipos.


Palavras-chave


discurso constituinte; discurso religioso; estereótipos

Texto completo:

PDF

Referências


AMOSSY, R.; PIERROT. A. H. Estereotipos y clichés. Buenos Aires: Eudeba, 2001. 133 p.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, DF, 1990. Disponível em: . Acesso em: 21 maio de 2014.

LÉONARD, É. G. O protestantismo brasileiro: estudo de eclesiologia e história social. São Paulo: Aste, 1981. 388 p.

MAINGUENEAU, D. Analisando discursos constiuintes. Revista do GELNE, v. 2, n. 2, p. 1-12, 2000.

MAINGUENEAU, D. Cenas da enunciação. São Paulo: Criar, 2006. 181 p.

MAINGUENEAU, D. A propósito do ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (Org.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008a. p. 11-29.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. São Paulo: Parábola, 2008b [1984]. 189p.

MENDONÇA, A. G. Evolução história e confi guração atual do protestantismo no Brasil. In: MENDONÇA, A. G.; VELASQUES FILHO, P. Introdução ao Protestantismo no Brasil. São Paulo: Edições Loyola, 1990. p. 11-59.

ORLANDI, E. Terra à vista: discurso do confronto: velho e novo mundo. 2. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2008. 286 p.

POSSENTI, S. Estereótipos e identidade: o caso nas piadas. In: POSSENTI, S. Os limites do discurso: ensaios sobre o discurso e o sujeito. 2. ed. São Paulo: Criar Edições, 2004; p. 155-166. Cap. 3.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)