Atividade de linguagem: a produção de texto como exercício de regulação intersubjetiva

Marilia Blundi Onofre

Resumo


As discussões aqui propostas fundamentam-se pelas reflexões de Rezende (2010) sobre o processo de ensino de língua a partir da sua leitura de Antoine Culioli (1999). A contribuição de Rezende para se pensar tal processo faz-se pelos princípios sustentados pela Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas (TOPE), segundo os quais a atividade de linguagem constitui-se por meio das operações de representação mental, referenciação linguística e regulação intersubjetiva. Nesse contexto observamos a dificuldade de se estabelecer o limite entre o que se entende por erro e por criatividade quando saímos do âmbito dos modelos idealizados. Pretendemos
mostrar a importância de se considerar, no processo de ensino-aprendizagem de língua, a produção de texto como uma prática de regulação intersubjetiva.


Palavras-chave


produção de texto; atividade de linguagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)