Usos de vírgulas em textos do início do Ensino Fundamental II: distribuição e evidências de características prosódicas

Tainan Garcia Carvalho

Resumo


O objetivo deste artigo é descrever e analisar usos convencionais e não-convencionais de vírgulas de uma amostra longitudinal de textos produzidos por 94 sujeitos no ciclo inicial (6º e 7º anos) do Ensino Fundamental II de uma escola pública de São José do Rio Preto. Os textos pertencem ao Banco de Dados de Escrita do Ensino Fundamental II (TENANI; LONGHIN-THOMAZI, 2014). Ao partirmos da hipótese de que os usos de vírgulas estão associados a características prosódicas do Português Brasileiro, buscaremos descrever algumas das características prosódicas mais relevantes identificadas nas fronteiras de usos de vírgulas. Para tanto, a metodologia consiste na interface entre estruturas sintáticas, levantadas a partir das normas prescritas em Bechara (1999), e estruturas fonológicas, com base no arcabouço teórico da Fonologia Prosódica (NESPOR; VOGEL, 1986).

Palavras-chave


escrita; empregos de vírgulas; prosódia; pontuação; fonologia

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO-CHIUCHI, A. C. Os usos não-convencionais da vírgula em textos de alunos da quinta série do Ensino Fundamental. 2012. 91 f. Dissertação (Mestrado em Análise Linguística) –Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, 2012.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 1999.

CHACON, L. Ritmo da escrita: uma organização do heterogêneo da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

CÔRREA, M. L. G. O modo heterogêneo de constituição da escrita. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

DAHLET, V. As (man)obras da pontuação: usos e significações. São Paulo: Associação Editorial Humanitas, 2006.

ESVAEL, E. V. S. Pontuação na escrita de universitários: a função enunciativa da vírgula. 2005. 124 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

FROTA, S. Prosody and focus in European Portuguese. 1998. 440 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Lisboa, Universidade de Lisboa, Lisboa, 1998. (Publicado por Garlang Publishing – series Outstanding Dissertations on Linguistics. New York/London, 2000.)

NESPOR, M.; VOGEL, I. Prosodic Phonology. Dordrecht-Holland: Foris Publications, 1986.

PROPOSTA CURRICULAR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Língua Portuguesa. Coord. Maria Inês Fini. São Paulo: Secretaria Estadual de Educação, 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

SONCIN, G. C. N. As vírgulas não-convencionais em textos dissertativos produzidos em ambiente escolar: indícios de organização prosódica, evidências dos imaginários sobre a escrita. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 41, n. 2, p. 389-402, 2012.

SONCIN, G.; TENANI, L. Emprego de vírgula e prosódia do Português Brasileiro: aspectos teórico-analíticos e implicações didáticas. Filologia e Linguística Portuguesa, v. 17, n. 2, p. 473-493, 2016.

TENANI, L. E.; LONGHIN THOMAZI, S. R. Oficinas de leitura, interpretação e produção textual no ensino fundamental. Revista em Extensão (on-line), v. 13, p. 20-34, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

TENANI, L. E.; LONGHIN THOMAZI, S. R. Banco de Dados de Escrita do Ensino Fundamental II. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2017.

TENANI, L. E.; LONGHIN THOMAZI, S. R. Domínios prosódicos no Português do Brasil: implicações para a prosódia e para a aplicação de processos fonológicos. 2002. 317 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i2.2004

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)