Ferramentas metodológicas para análises (sócio)linguísticas

Rosane de Andrade Berlinck, Caroline Carnielli Biazolli

Resumo


Uma das etapas mais relevantes em toda pesquisa científica é a escolha do aporte metodológico que viabilizará a sua realização. Essa escolha depende, naturalmente, do objeto de estudo e da abordagem teórica adotada. Muitos modelos teóricos vigentes nos estudos linguísticos investem em análises empíricas, enfrentando os desafios gerados pela manipulação de grandes volumes de dados. Em relação aos estudos (sócio)linguísticos, a metodologia da Teoria da Variação e Mudança Linguísticas se destaca pela centralidade que atribui à obtenção, análise e interpretação de dados. Objetivamos, neste artigo, apresentar as ferramentas metodológicas computacionais AntConc, Excel e Goldvarb X, que auxiliam no cumprimento de todas as etapas fundamentais para a concretização de estudos da variação e mudança linguísticas.


Palavras-chave


ferramentas metodológicas; variação e mudança linguísticas

Texto completo:

PDF

Referências


CHAMBERS, J. K. Sociolinguistics Theory: Linguistic Variation and its Social Significance. 2. ed. Oxford: Blackwell Publishers, 2003.

GUY, G. R.; ZILLES, A. Sociolinguística Quantitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

LABOV, W. Principles of Linguistic Change. v. 3: Cognitive and Cultural Factors. Oxford: Wiley-Blackwell, 2010.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. São Paulo: Parábola, 2008[1972].

LABOV, W. The Social Stratification of English in New York City. Cambridge: Cambridge University Press, 2006[1966].

LABOV, W. Some sociolinguistic principles. In: PAULSTON, C. B.; TUCKER, G. R. (Eds.). Sociolinguistics: the essential readings. Oxford: Blackwell, 2003. p. 234-250.

LABOV, W. Principles of Linguistic Change. v. 2: Social factors. Cambridge: Blackwell, 2001.

LABOV, W. Principles of Linguistic Change. v. 1: Internal factors. Cambridge: Blackwell, 1994.

LABOV, W. Building on Empirical Foundations. In: LEHMANN, W. P.; MALKIEL, Y. (Eds.). Perspectives on Historical Linguistics. Philadelphia: John Benjamins Publishing, 1982. p. 17-92.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MENDES, R. B. A Variação Linguística. In: FIORIN, J. L. (Org.). Introdução à Linguística I. Objetos Teóricos. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2010. p. 121-140.

R TEAM, Development Core. R: A Language and Environment for Statistical Computing. Vienna, Austria: R Foundation for Statistical Computing, 2017. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2015.

SARDINHA, T. B. Linguística de Corpus. Barueri: Editora Manole, 2004.

SANKOFF, D.; TAGLIAMONTE, S. A.; SMITH, E. Goldvarb X: A variable rule application for Macintosh and Windows. Department of Linguistics, University of Toronto, 2005. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2015.

WEINREICH, V.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006[1968].




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i1.2047

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)