Práticas de refração, refração de uma prática: gêneros discursivos e suas leituras textuais

Marco Antonio Villarta-Neder

Resumo


O presente artigo pretende discutir as refrações sofridas pelo conceito bakhtiniano de gêneros discursivos na leitura de teorias advindas do campo de estudos do texto. Esse campo é constituído majoritariamente por teorias da Linguística Textual e por aquelas que podem ser identificadas no âmbito de estudos sociointeracionais no sentido mais amplo. O objetivo é destacar como essas refrações incidem principalmente sobre as práticas socioculturais, históricas e ideológicas que se constituem na/pela produção, circulação e recepção desses gêneros. Objetiva-se, ainda, destacar a refração da concepção de sujeitos, resultando que a noção bakhtiniana, fundada, ao mesmo tempo, em uma concepção co-construída na relação de alteridade e na responsabilidade axiológica seja decorrente dessa constituição.


Palavras-chave


Círculo de Bakhtin; gêneros discursivos; gêneros textuais

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. M. Gêneros do Discurso. Tradução do russo por Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Tradução do russo por Paulo Bezerra. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Tradução feita a partir do francês por Maria Ermantina Galvão: revisão da tradução Marina Appenzeller. 12. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do ato. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do ato. Tradução de Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza a partir da edição norte-americana Towards a Philosophy of Act, traduzida do russo por Vadim Liapunov. 1993. Mimeo.

BAKHTIN, M. M.; VOLÓCHINOV. V. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2006.

BAWARSHI, A. S.; REIFF, M. J. Gênero: história, teoria, pesquisa, ensino. Tradução de Benedito Gomes Bezerra. São Paulo: Parábola, 2013.

BEZERRA, P. Notas. In: BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016.

BRANDÃO, H. N. Gêneros do discurso na escola. Coleção ensinar e aprender com textos. v. 5. São Paulo: Cortez, 2000.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos. Por um interacionismo sociodiscursivo. Tradução de Anna Maria Raquel Machado; Péricles Cunha. 2. ed. São Paulo: EDUC, 2007.

CLARK, K.; HOLQUIST, M. Mikhail Bakhtin. Tradução de J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2008.

GERALDI, J. W. Ancoragens. Estudos Bakhtinianos. 2. ed. São Carlos: Pedro & João Editores, 2015.

GRILLO, S. C.; AMÉRICO, E. V. Glossário. In: VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução e notas de Sheila Grillo e Ekaterina Volkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. São Paulo: Mercado das Letras, 2004.

SOBRAL, A. Do dialogismo ao gênero. As bases do pensamento do Círculo de Bakhtin. Campinas: Mercado das Letras, 2009.

TUDOGOSTOSO. Página pessoal. Receitas culinárias. Disponível em . Acesso em: 09 out. 2017.

VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução e notas de Sheila Grillo e Ekaterina Volkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

VOLOCHINOV, V. N. A estrutura do enunciado. Tradução de Ana Vaz, para fins didáticos, com base na tradução francesa de Tzvetan Todorov (“La structure de l’énoncé, 1930). In: TODOROV, T. Mikhail Bakhtine: le principe dialogique. Paris: Seuil, 2005. p. 287-316.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i2.2051

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)