Enunciados possíveis: um exercício sobre minorias e ethos discursivo

Ana Elisa Sobral Caetano da Silva Ferreira

Resumo


Tendo a Análise de Discurso (AD) Francesa como campo teórico-metodológico, analisaremos o breve corpus deste exercício, composto por enunciados que apresentam marcas da construção de um ethos visado, no posicionamento do sujeito discursivo e como esse processo se relaciona com a cristalização do sintagma lugar de fala (SALGADO; GATTI, 2018). Propomos uma reflexão sobre a validação dos discursos que circulam dentro de determinadas comunidades discursivas (MAINGUENEAU, 2008a) entendidas como minorias e aparentemente amalgamadas. Para tanto, mobilizaremos conceitos fundamentais da AD, tais como, memória discursiva e interdiscurso (PECHÊUX, 2016) na manutenção do imaginário de homogeneização dessas comunidades.  


Palavras-chave


ethos discursivo; comunidade discursiva; preconceito

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. A conquista do lugar de fala e fala fora do lugar nos discursos de FHC e Lula sobre o Real. In: RUBIM, A. A. C.; BENTZ, I. M. G.; PINTO, M. J. (org.). Práticas discursivas na cultura contemporânea. São Leopoldo: UNISINOS, 1999.

AMOSSY, R. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2008.

BANDEIRA, G. A.; SEFFNER, F. Futebol, gênero, masculinidade e homofobia: um jogo dentro do jogo. Espaço Plural, n. 29, p. 246-270, 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/4459/445944242012/. Acesso em: 10 mar. 2018.

COURTINE, J. J. Análise do Discurso Político. O discurso comunista endereçado aos cristãos. São Paulo. EDUFSCar, 2009.

FILHO, M. O negro no futebol brasileiro. Rio de Janeiro. Mauad, 2010.

FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. 7. ed. Rio de Janeiro. Forense Universitária, 2008.

MAINGUENEAU, D. Cenas da Enunciação. São Paulo. Parábola, 2008a.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. São Paulo. Parábola, 2008b.

MESTI, P. C.; BARONAS, R. L. A (re)construção do ethos discursivo: reflexões sobre as imagens de si em sujeitos em interação. Cad. Est. Ling., Campinas, v. 61, p. 1-13, e019033, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cel/article/view/8655025/21200. Acesso em: 06 set. 2019.

ORLANDI, E. Análise de Discurso. Princípios & Procedimentos. Campinas: Pontes Editores, 2015.

PALMA, Y. A.; LEVANDOWISK, D. C. Vivências pessoais e familiares de homossexuais femininas. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 4, p. 771-779, out./dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v13n4/v13n4a15. Acesso em: 10 mar. 2018.

PÊCHEUX, M. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 2. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2016.

PÊCHEUX, M. Análise de Discurso: Michel Pêcheux. Textos selecionados por Eni Orlandi. 4. ed. Campinas: Pontes Editores, 2014.

POSSENTI, S. A linguagem politicamente correta e a análise do discurso. Estudos Linguísticos, Belo Horizonte, ano 4, v. 2, p. 125-142, jul./dez. 1995.

RODRIGUES, M. G.; SOUZA-E-SILVA, M. C. P. Ethos discursivo e sentidos sobre trabalho no samba. Revista Moara, n. 38, p. 113-125, jul./dez. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/moara/article/view/1274/1693. Acesso em: 06 set. 2019.

RUY, L. Homossexualismo e código internacional de doenças. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v18n5/02.pdf. Acesso em: 10 mar. 2018.

SALGADO, L. S.; GATTI, M. A. Considerações sobre o sintagma “lugar de fala”: um operador de vozes empoderadas? Discurso & Sociedade, v. 12, n. 3, p. 565-580, 2018. Disponível em: http://www.dissoc.org/ediciones/v12n03/DS12(3)Salgado&Gatti.pdf. Acesso em: 02 set. 2019.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i3.2180

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)