Análise da prosódia afetiva na esquizofrenia a partir do aplicativo Exprosodia

Ana Cristina Aparecida Jorge

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo realizar uma análise da entoação de voz de pacientes com esquizofrenia para, a partir de parâmetros acústicos advindos de variáveis linguísticas, examinar dados que caracterizem a prosódia como um possível indicativo diagnóstico. Para a realização dessa pesquisa, 16 pessoas diagnosticadas com esquizofrenia, de acordo com os critérios do DSM V (SECMs), e mais 16 indivíduos sem histórico médico anterior de transtorno mental (SCs), concordaram em realizar um diálogo gravado. Esse procedimento se dividiu em quatro etapas: entrevista de anamnese; relato empírico; descrição de uma imagem; e, por fim, a leitura de um trecho de uma história infantil. A análise dos dados coletados foi realizada pela rotina ExProsodia (FERREIRA-NETTO, 2016). Os resultados apresentados indicam a possibilidade de diferenciar pacientes acometidos pela esquizofrenia de sujeitos sem histórico anterior de transtornos psíquicos ou doenças mentais, baseada na análise de parâmetros acústicos de voz.


Palavras-chave


comunicação verbal; entoação; esquizofrenia; ExProsodia; prosódia afetiva

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, M. A. de M.; MADEIRO, F. Em-Tom-Ação: a prosódia em perspectiva. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2007.

AMERICAN PSYCHIATRY ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental disorders – DSM-5. 5th.ed. Washington: American Psychiatric Association, 2013.

BACHOROWSKI, J.; OWREN, M. J. Vocal expression of emotion: Acoustic properties of speech are associated with emotional intensity and context. Psychological Science, v. 6,

p. 219-224, jul. 1995.

BANSE, R.; SCHERER, K. Acoustic profiles in vocal emotion expression. Journal of Personality and Society of Psychology, v. 70, p. 614-636, mar. 1996.

BAUM, L. F. O mágico de Oz. São Paulo: Leya, 2011.

BEHLAU, M. Voz: o livro do especialista. v. I. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.

CASTAGNA, F. et al. Prosody recognition and audiovisual emotion matching in schizophrenia: The contribution of cognition and psychopathology. Psychiatry Research, n. 205, p. 192-198, fev. 2013.

CHHABRA, S. et al. Voice identity discrimination in schizophrenia. Neuropsychologia, n. 50, p. 2730-2735, out. 2012.

FERREIRA-NETTO, W. ExProsodia: resultados preliminares. São Paulo: Ed. Paulistana, 2016.

FERREIRA-NETTO, W. ExProsodia. Revista da Propriedade Industrial – RPI, 2038, 26 out. 2010.

FERREIRA-NETTO, W. Decomposição da entoação frasal em componentes estruturadoras e em componentes semântico-funcionais. In: CONGRESSO NACIONAL DE FONÉTICA E FONOLOGIA/CONGRESSO INTERNACIONAL DE FONÉTICA E FONOLOGIA, X/IV. Niterói, 2008. Disponível em: http://bit.ly/31YpzFM. Acesso em: 22 jan. 2013.

FERREIRA-NETTO, W. Variação de frequência e constituição da prosódia na Língua Portuguesa. 2006. Tese (Livre Docência) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

FERREIRA-NETTO, W. et al. Análise automática da entoação emotiva (colérica, triste e neutra) pelo aplicativo ExProsodia. In: BRAZILIAN SYMPOSIUM IN INFORMATION AND HUMAN LANGUAGE TECHNOLOGY AND COLLOCATED EVENTS, 9, Fortaleza, 2013. Proceedings-BRACIS 2013. Disponível em: http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/jdp/ 2013/001.pdf. Acesso em: 22 jan. 2013.

FERREIRA-NETTO, W.; CONSONI, F. Estratégias prosódicas da leitura em voz alta e da fala espontânea. Alfa, n. 52, v. 2, p. 521-534, 2008.

HUANG, J. et al. Trying to be optimistic? The emotion perception of schizophrenia within conversation context. Psychiatry Research, v. 185, n. 1/2, p. 300-301, jan. 2011.

JORGE, A. C. A. Prosódia afetiva na esquizofrenia. 2018. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

LIEBERMAN, P.; MICHAELS, S. B. Some aspects of fundamental frequency and envelope amplitude as related to the emotional content of speech. Journal of the Acoustical of Society of America, v. 34, p. 922-927, jul. 1962.

MARTINS, M. V. M.; FERREIRA-NETTO, W. Proposal of description for an intonation pattern: The simulacrum of neutral intonation. The Journal of the Acoustical Society of America,

n. 141, p. 3701, 2017.

MOTA, N. et al. Graph analysis of dream reports is especially informative about psychosis. Scientific Reports, v. 4, art. 3691, jan. 2014.

PERES, D. O. A percepção da emoção na fala por nativos e não nativos. 2016. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia, Ciências Humanas e Letras, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

RAPCAN, V. et al. Acoustic and temporal analysis of speech: a potential biomarker for schizophrenia. Medical Engineering and Physics, v. 32, n. 9, p. 1074-1079, jul. 2010.

SILVEIRA, N. da. O mundo das imagens. Rio de Janeiro: Ática, 1992.

SILVEIRA, N. da. Imagens do Inconsciente. Rio de Janeiro: Ed. Alhambra, 1981.

STEINBERG, W. Aspectos clínicos da terapia Junguiana. Tradução Pedro da Silva Dantas. São Paulo: Ed. Cultrix, 1990.

TRÉMEAU, F. A review of emotion deficits in schizophrenia. Clinical Research: Dialogues in Clinical Neuroscience, v. 8, n. 1, p. 59-70, 2006.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i3.2200

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)