Formas de nomear ruas de Campo Grande: o que revela a toponímia do bairro Novos Estados.

Janaina Domingues Verão das Neves

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir tendências da toponímia urbana do bairro Novos Estados, um dos onze bairros que compõem a região urbana do Prosa, Campo Grande - Mato Grosso do Sul (MS). É também objetivo desta proposta analisar um recorte da toponímia urbana selecionada, considerando a classificação dos topônimos, segundo a motivação semântica (DICK, 1990a); a estrutura formal dos nomes de logradouros catalogados e as línguas de origem dos designativos. A análise evidenciou os seguintes resultados: i) quanto à motivação, prevalecem os topônimos de natureza antropocultural, particularmente os que designam nomes de pessoas, os antropotopônimos, e, em segundo lugar em número de ocorrências, os nomes transplantados de outras localidades (municípios e distritos de estados brasileiros), os corotopônimos; ii) quanto à estrutura morfológica, sobressaem os topônimos de base simples e, iii) quanto à língua de origem, a portuguesa prevalece, seguida de línguas indígenas e de outras línguas (latim, francês, espanhol, árabe, grego, etc.)

Palavras-chave


toponímia urbana; Campo Grande; nomes de ruas; prosa; Novos Estados

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILERA, V. A. Taxionomia de topônimos: problemas sem solução? Signum. Estudos Linguísticos, Londrina, v. 2, n. 1, p. 125-137, out. 1999.

AMORIM, B. S.; ISQUERDO, A. N. A antropotoponímia na nomeação dos logradouros do bairro José Abrão em Campo Grande (MS): alguns apontamentos. Revista Philologus, Rio de Janeiro, v. 23, p. 100-111, abr. 2017.

BIDERMAN, M. T. C. Terminologia e Lexicografia. Tradterm, São Paulo, v. 7, p. 153-181, dez. 2001. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/49147/53230. Acesso em: 27 ago. 2018.

DICK, M. V. P. A. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. 2. ed. São Paulo: Serviços de Arte Gráfica da FFLCH/USP, 1990a.

DICK, M. V. P. A. A estrutura e as funções do signo toponímico. In: DICK, M. V. P. A. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. 3. ed. São Paulo: Serviços de Arte Gráfica da FFLCH/USP, 1990a. p. 13-14.

DICK, M. V. P. A. Aspectos genéricos da toponímia indígena brasileira e sua distribuição linguística. In: DICK, M. V. P. A. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. 2. ed. São Paulo: Serviços de Arte Gráfica da FFLCH/USP, 1990a. p. 119-136.

DICK, M. V. P. A. Funções do topônimo. In: DICK, M. V. P. A. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. 3. ed. São Paulo: Serviços de Arte Gráfica da FFLCH/USP, 1990a. p. 15-22.

DICK, M. V. P. A. O espontâneo e o popular na Toponímia. In: DICK, M. V. P. A. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. 2. ed. São Paulo: Serviços de Arte Gráfica da FFLCH/USP, 1990a. p. 47-54.

DICK, M. V. P. A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Edições Arquivo do Estado de São Paulo, 1990b.

DICK, M. V. P. A. A nomeação toponímica e o “signo toponímico”. In: DICK, M. V. P. A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Edições Arquivo do Estado de São Paulo, 1990b. p. 35-46.

DICK, M. V. P. A. Taxionomias de natureza antropocultural. In: DICK, M. V. P. A. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Edições Arquivo do Estado de São Paulo, 1990b. p. 285-350.

DICK, M. V. P. A. A dinâmica dos nomes na cidade de São Paulo. 1554-1897. São Paulo: Annablume, 1996.

FERREIRA, A. B. de H. Novo dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Curitiba: Positivo, 2004. Versão digital 5.0.

HOUAISS, A. Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. Versão digital 1.0.

ISQUERDO, A. N. A motivação na toponímia: algumas reflexões. In: SELLA, A. F.; CORBARI, C. C.; BIDARRA, J. (org.). Pesquisas sobre léxico: reflexões teóricas e aplicação. Campinas: Pontes; Cascavel: Edunioste, 2012. p. 81-95.

OLIVEIRA, A. M. P. P. Brasileirismos e Regionalismos. Alfa, São Paulo, v. 42, n. esp., p. 109-120, 1998.

SEMADUR – Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana. Disponível em: http://www.campogrande.ms.gov.br/semadur. Acesso em: 25 abr. 2018.

SIMGEO. Sistema Municipal de Geoprocessamento. Disponível em: http://www.campogrande.ms.gov.br/simgeo/. Acesso em: 25 abr. 2018.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i1.2339

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)