A expressão de condicionalidade na construção [caso + oração finita] no português do Brasil

Camila Fernandes da Silva

Resumo


Considerando que na categoria condicional encontra-se uma variedade de estruturas que podem expressar diferentes nuances de condicionalidade, busca-se compreender como traços da estrutura formal e aspectos semântico-pragmáticos da construção [caso + oração finita] se relacionam para compor o significado condicional. Sob a perspectiva dos modelos baseados no uso, nossos pressupostos teóricos baseiam-se, especialmente, em Dancygier (1998) e Dancygier e Sweetser (2005). Os dados correspondem ao português brasileiro contemporâneo (séculos XX e XXI), extraídos do Corpus do Português. 


Palavras-chave


parâmetros de condicionalidade; construção condicional; categorização.

Texto completo:

PDF

Referências


BYBEE, J. Language, usage and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

BYBEE, J. Língua, uso e cognição. Tradução Maria Angélica Furtado da Cunha. São Paulo: Cortez, 2016.

CROFT, W. Radical Construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.

DANCYGIER, B. Conditionals and predication (Cambridge Studies in Linguistics). Cambridge: Cambridge University Press, 1998.

DANCYGIER, B.; SWEETSER, E. Mental spaces in grammar: conditional constructions. Cambridge: Cambridge University Press, 2005. (Cambridge Studies in Linguistics, 108).

DAVIES, M.; FERREIRA, M. Corpus do Português. 2006. Disponível em: http://www.corpusdoportugues.org. Acesso em: 10 abr. 2018.

FAUCONNIER, G. Mental spaces: aspects of meaning construction in natural language. Cambridge: MIT Press, 1985.

FERRARI, L. Os parâmetros básicos da condicionalidade na visão cognitivista. Veredas, v. 4, n. 1, p. 21-30, 2000.

FERRARI, L. Semântica Objetivista ou Semântica Cognitiva? Implicações do modelo semântico em análise de condicionais. Gragoatá, Niterói, n. 38, p. 142-162, 2015.

FILLMORE, C. Epistemic stance and grammatical form in English conditional sentences. In: ZIOLKOWSKI, M.; NOSKE, M.; DEATON, K. (ed.). Papers from the 26th Regional Meeting of the Chicago Linguistic Society. Chicago: Chicago Linguistic Society, 1990. p. 137-162.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, B. E. Pressupostos teórico-metodológicos e categorias analíticas da linguística funcional centrada no uso. Revista do GELNE, Natal/RN, v. 15, n. esp., p. 53-78. 2013.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, B. E. et al. Linguística funcional centrada no uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, B. E.; CEZÁRIO, M. M. Linguística centrada no uso. Rio de Janeiro: Mauad, 2013. p. 13-40.

GOLDBERG, A. E. Constructions at work: the nature of generalization in language. Oxford: Oxford University Press, 2006.

GOLDBERG, A. E. A construction grammar approach to argument structure. Chicago/London: The University of Chicago Press, 1995.

HIRATA-VALE, F. B. M. A expressão da condicionalidade no português escrito do Brasil: contínuo semântico-pragmático. 2005. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2005.

LANGACKER, R. W. Cognitive Grammar: A basic introduction. Oxford: Oxford University Press, 2008.

OLIVEIRA, T. P. Conjunções e orações condicionais no português do Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2008.

OLIVEIRA, T. P. As conjunções condicionais na Gramática Discursivo Funcional. In: SOUZA, E. R. F. Funcionalismo linguístico: análise e descrição. São Paulo: Contexto: 2012. p. 119-146.

OLIVEIRA, T. P. Conjunções adverbiais no português. Revista de Estudos Linguísticos, Belo Horizonte, v. 22, n. 1, p. 45-66, jan./jun. 2014.

OLIVEIRA, T. P.; HIRATA-VALE, F. B. M. A condicionalidade como zona conceitual. Delta, São Paulo, v. 33, n. 1, p. 291-313, 2017.

NEVES, M. H. M. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

SWEETSER, E. From etymology to pragmatics: metaphorical and cultural aspects of semantic structure. (Cambridge Studies in Linguistics, 54). Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. G. Constructionalization and Constructional Change. Oxford: Oxford University Press, 2013.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2533

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)