Mecanismos enunciativos: entre a entrevista e a biografia

Autores

Palavras-chave:

atividade de linguagem, produção textual, operações enunciativas.

Resumo

O presente trabalho de pesquisa situa-se na articulação entre a linguística e o ensino-aprendizagem de línguas e fundamenta-se nas reflexões enunciativas, em especial, no quadro da Teoria das Operações Enunciativas (TOE) proposta pelo pesquisador francês Antoine Culioli (1990) que entende que a Linguística tem como objeto de estudo “a atividade de linguagem apreendida através da diversidade das línguas naturais”, isto é, a tarefa do linguista é estudar o funcionamento da linguagem enquanto atividade significante de representação, ou melhor, enquanto atividade de produção e reconhecimento de formas linguísticas. A análise que propomos pauta-se pela observação de ocorrências linguísticas presentes em textos de alunos do Ensino Fundamental II, que se caracterizam por apresentar mecanismos enunciativos deslocados em relação ao gênero Biografia. Dessa forma, o nosso objetivo é apresentar como é problemático o fato de se priorizarem modelos idealizados no ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidiany Pereira dos Santos, Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina, Piauí. Brasil

Professora Adjunta da UFPI, na cidade de Picos (PI), lotada na Coordenação de Letras. Ministra disciplinas na área de Letras - Português e na Pedagogia

Marília Blundi Onofre, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, São Paulo, Brasil

Professora Titular do Departamento de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Pesquisadora da Teoria das Operações Predicativas (TOPE) do francês Antoine Culioli.

Referências

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitec, 2010.

BAZERMAN, C.; DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Orgs.) Gêneros textuais, tipificação e interação. São Paulo: Cortez, 2005.

BRASIL, Secretaria de Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF,1998.

BRASIL, Secretaria de Educação. Base Nacional Curricular Comum. Brasília: MEC/SEF, 2017.

CULIOLI, A. Notes du Seminaire de D.E.A. Université de Paris 7. Departamente de recherches linguistiques. Paris: Poitiers, 1985.

_________. Pour une linguistique de l’énonciation. Opérations et répresentations. Tome 1. Paris: Ophrys, 1990.

_________. Pour une linguistique de l’énonciation. Formalisacion et opéracion de réperage. Tome 2. Paris: Ophrys, 1999.

MILLER, C. R. Genre as Social Action. In: FREEDMAN, A; MEDWAY, P. (Orgs.). Genre and the new rethoric. London: Taylor & Francis, 1994.

ONOFRE, M. B. Operações de Linguagem e Implicações Enunciativas da marca “se”. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) - Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara (SP), 2003.

RODRIGUES, R. H. Os gêneros do discurso na perspectiva dialógica da linguagem: a abordagem de Bakhtin. In: MEURER, J.L; BONINI, A; MOTTA-ROTH, D. (Orgs.) Gêneros: teorias, métodos e debates. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

SOUSA, O. da C. e. Tempos e Aspecto: O Imperfeito num corpus de aquisição. Lisboa: Edições Colibri – Instituto Politécnico de Lisboa. 2007.

Downloads

Publicado

27-12-2021

Como Citar

Santos, L. P. dos, & Onofre, M. B. (2021). Mecanismos enunciativos: entre a entrevista e a biografia. Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978), 50(3). Recuperado de https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/2972

Edição

Seção

Artigos