Norma e poder no ensino de língua portuguesa: crítica ao reducionismo determinista

Autores

Palavras-chave:

Norma. TOPE. Teoria Crítica. Ensino de Língua Portuguesap

Resumo

O objetivo deste trabalho é problematizar a noção de norma gramatical a partir de conceitos retirados em alguns autores da Teoria Crítica e no referencial teórico da TOPE (Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas) desenvolvida por Antoine Culioli. Vê-se que o conceito de norma, devido ao seu efeito exceptivo e conteúdo prescritivo, limita o conhecimento adequado da linguagem, entendida aqui como atividade operatória, cuja natureza dinâmica e proliferativa rechaça toda regulação preceptiva e todo ordenamento classificatório. Reflete-se, igualmente, levando em conta as práticas do ensino em sala de aula e os Parâmetros Curriculares Nacionais, sobre as consequências pedagógicas dessa problematização, especificamente no ensino de língua portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Gonçalves Lima Rocha, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, São Paulo, Brasil

Formação em Letras/Português

Mestre em Linguística

Doutora em Educação e Saúde na infância e na adolescência pela Unifesp

Referências

AGAMBEN, G. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

BÍBLIA SAGRADA. Brasília: Edições CNBB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua portuguesa. (3º e 4º ciclos do ensino fundamental). Brasília: MEC, 1998.

CANGUILHEM, G. O normal e o patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

CAMARA JR., J. M. Dicionário de Linguística e Gramática. Petrópolis, Vozes, 1978.

CINTRA, L.; CUNHA, C, Nova Gramatica do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation (tome 2). Formalisation et opérations de repérage. Paris: Ophrys, 1999a.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation (tome 3). Domaine notionnel. Paris: Ophrys, 1999b.

CULIOLI, A; NORMAND, C. Onze rencontres sur le langage et les langues. Paris: Ophrys, 2005.

FRANCKEL, J-J. “Introdução ». In: Linguagem e enunciação: representação, referenciação e regulação. São Paulo: Contexto, 2011.

HONNETH, A. Reconhecimento ou redistribuição? A mudança de perspectivas na ordem moral da sociedade. In: Teoria Crítica do Século XXI. Jessé Souza e Patrícia Mattos (org). São Paulo: Annablume, 2007.

LALANDE, André. Vocabulário técnico e crítico de Filosofia. 3. ed. Tradução Fátima de Sá Correia; et al. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

LIMA, C. H. R. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1994.

RAMOS, H. C. Por uma vida melhor. Coleção Viver e aprender. São Paulo: Ação Educativa/Global, 2011.

Downloads

Publicado

27-12-2021

Como Citar

Rocha, E. G. L. (2021). Norma e poder no ensino de língua portuguesa: crítica ao reducionismo determinista . Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978), 50(3). Recuperado de https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/3065

Edição

Seção

Artigos