Brasileiro falando espanhol e argentino falando português: uma análise do objeto direto anafórico na produção não nativa

Rosa Yokota

Resumo


O presente trabalho apresenta os resultados parciais de um projeto de pesquisa sobre a aprendizagem de línguas próximas em situação de língua estrangeira, mais especificamente do espanhol (E/LE) por brasileiros e do português (P/LE) por falantes do espanhol. Nos dois casos, as amostras de produção oral foram recolhidas junto a estudantes universitários de cursos de formação de professores da respectiva língua estrangeira no Brasil (São Paulo) e Argentina (Concordia). Trata-se de uma pesquisa qualitativa sobre o objeto direto na produção não nativa de adultos em processo avançado de aprendizagem de espanhol ou português como LE.


Palavras-chave


português; espanhol; objeto direto

Texto completo:

PDF

Referências


BOSQUE, I; DEMONTE, V. Gramática descriptiva de la lengua española. Madrid: Espasa Calpe, 1999.

CYRINO, S. I. O objeto nulo no português do Brasil. Londrina: Editora da UEL, 1997.

CYRINO, S.I; NUNES, J.; PAGOTTO, E. Complementação. In: KATO, M. A.; NASCIMENTO, M.(Org.) Gramática do português falado culto no Brasil. v. 3. Campinas: Unicamp, 2009. p.47-100.

DUARTE, M. E. L. Variação e sintaxe. 1986. 73 f. Dissertação (Mestrado em Ciências – Linguística aplicada ao ensino de línguas) - Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 1986.

FANJUL, A. P. La práctica gramatical y el problema de la referencia en la enseñanza de ELE a brasileños. In: BARROS, C. S. de; COSTA, E. G. de M. (Org.) Espanhol para o ensino médio. Brasília: Ministério de Educação/Secretaria da Ed. Básica, 2010. p. 233-264.

FREIRE, G. C. Os clíticos de terceira pessoa e as estratégias para sua substituição na fala culta brasileira e lusitana. 2000. 113f. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

GALVES, C. C. Ensaios sobre as gramáticas do português. Campinas: Ed. Unicamp, 2001.

GONZÁLEZ, N. T. M. Cadê o pronome? O gato comeu: os pronomes pessoais na aquisição/aprendizagem do espanhol por brasileiros adultos. 1994. Tese (Doutorado em Semiótica e Linguística Geral) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

GONZÁLEZ, N. T. M. Portugués brasileño y español: lenguas inversamente asimétricas. In: CELADA,

M. T.; GONZÁLEZ, N. T. M. (Coord. Dossier) Gestos que trazan distinciones entre la lengua española y el portugués brasileño. SIGNOS ELE, 2008. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2013.

GROPPI, M. Pronomes pessoais no português do Brasil e no espanhol do Uruguai. 1997. 152f. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

GROPPI, M. Opcionalidad de la duplicación de clíticos en español. In: TROUCHE, A.L.G.; REIS, L.F. (Org.) Hispanismo 2000. v. 1. Brasília: Min. de Educación, Cultura y Deporte. Embajada de España en Brasil, 2001. p. 230-239.

KATO, M. A. A gramática do letrado: questões para a teoria gramatical. In: MARQUES, M. A. et. al. (Org.) Ciências da linguagem: trinta anos de investigação e ensino. Braga: CEHUM (Univ. do Minho), 2005. p. 131-145.

SILVA, L. S. da. As formas de preenchimento do objeto direto na aprendizagem de português/LE. 2010. 84f. Relatório (Relatório de Iniciação científica) - UFSCar, São Carlos, 2010.

TARALLO, F. Diagnosticando uma gramática brasileira: o português d’aquém e d’além-mar ao final do século XIX. In: ROBERTS, I.; KATO, M.A. (Org.) Português brasileiro. Campinas: Ed Unicamp, 1996. p. 69-106.

YOKOTA, R. O que eu falo não se escreve. E o que eu escrevo alguém fala? A variabilidade no uso do objeto direto anafórico na produção oral e escrita de aprendizes brasileiros de espanhol. 2007. 219f. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

YOKOTA, R. Pistas para entender o processo de aprendizagem de línguas próximas: o objeto direto anafórico na produção oral em E/LE e em P/LE. (mimeo)


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)