A Marcha das Vadias nas redes sociais: um discurso da militância?

Dantielli Assumpção Garcia, Lucília Maria Abrahão e Sousa

Resumo


Este trabalho objetiva, a partir da perspectiva teórica da análise de discurso de linha francesa, analisar algumas campanhas publicitárias produzidas pelas Marchas das Vadias e divulgadas na rede social Facebook. Almejamos perceber como um dizer sobre a mulher e sobre o movimento feminista ganha sentido no espaço tecnológico, fazendo falar efeitos de desautorização de certos sentidos e emergência de outros. Além disso, pretendemos refletir sobre o modo como é materializado discursivamente o que alguns autores denominam como cibermilitância, ou seja, os espaços digitais que norteiam reivindicações, protestos furando os discursos legitimados como dominantes. Assim, analisaremos como um dizer sobre a mulher é formulado e circula na sociedade contemporânea e na rede, buscando romper com dizeres já estabilizados na memória da sociedade sobre o que é e não é ser mulher.


Palavras-chave


Marcha das Vadias, sujeito-mulher, feminismo, redes sociais, militância

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Cadernos de Estudos Lingüísticos, Campinas, n. 19, p. 25-42 1990.

AUTHIER-REVUZ, J. Palavras incertas: as não-coincidências do dizer. Campinas: Editora da Unicamp, 1998.

BEAUVOIR, S. O segundo sexo: a experiência vivida. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1967.

BRASIL. Presidência da República; Secretaria de Políticas para as mulheres. II Plano Nacional de políticas para mulheres. Brasília: Secretaria de Políticas para as mulheres, 2008.

CASTELLS, M. A sociedade em rede: do conhecimento à política. In: CASTELLS, M.; CARDOSO, G. A sociedade em rede. Do conhecimento à acção política. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 2005.

CESTARI, M. J. Nós político no discurso feminista dos anos 70. Anais do Seta, n. 4, p. 779- 792, 2010.

MORAES, D. Comunicação alternativa, redes virtuais e ativismo: avanços e dilemas. Revista de Economía Política de las Tecnologías de la Información, v. IX, n. 2, mayo-ago. 2007. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2013.

MORAES, D. Comunicação virtual e cidadania: movimentos sociais e políticas na internet. Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v. XXIII, n. 2, jul./dez. 2000.

MORAES, D. Ativismo digital. 2001. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2013.

ORLANDI, E.P. Cidade dos sentidos. Campinas: Pontes, 2004.

ROMÃO, L. M. S. Nós, desconhecidos, na grande rede. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão-SC, v. 5, p. 71-91, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)