Tensão e narração em Tropa de Elite 2

Mônica Baltazar Diniz Signori

Resumo


Sustentado pela semiótica greimasiana, este trabalho descreve a construção da significação em Tropa de Elite 2, demonstrando a aproximação dos personagens Nascimento e Fraga, caracterizados, inicialmente, como antagonistas. Por meio de sobreposições produzidas pelo sincretismo cinematográfico, em especial pela associação das linguagens visual e verbal, a narração de Nascimento gradativamente dá voz a Fraga, criando efeitos de um discurso indireto livre que integra os horizontes enunciativos dos dois personagens em meio à tensão que os constitui. Configurados, em essência, a partir de um mesmo eixo significativo, posicionado no emaranhado de uma teia ideológica, fazem convergir para eles toda a narratividade para, depois de condensá-la, lançá-la em direção a um ponto de fuga localizado em Brasília, assim explicitando o real contrato mantido pelos cidadãos brasileiros.


Palavras-chave


semiótica greimasiana; sincretismo; linguagem cinematográfica

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, D. L. P. Teoria semiótica do texto. São Paulo: Ática, 2005. 92 p.

FONTANILLE, J. Semiótica do discurso. São Paulo: Contexto, 2007. 287 p.

FONTANILLE, J.; ZILBERBERG, C. Tensão e significação. São Paulo: Discurso Editorial: Humanitas/FFLCH/USP, 2001. 331 p.

GREIMAS, A. J. Sémantique structurale: recherche de méthode. Paris: Librairie Larousse, 1966. 262 p.

GREIMAS, A. J.; COURTÉS, J. Dicionário de semiótica. São Paulo: Cultrix, [s. d.] 493 p.

GREIMAS, A. J.; FONTANILLE, J. Semiótica das paixões: dos estados de coisas aos estados de alma. São Paulo: Ática, 1993. 294 p.

TROPA de Elite 2: o inimigo agora é outro. Direção: José Padilha. Rio de Janeiro: Zazen Produções Audiovisuais, 2010. 1 DVD (115 min.).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)