Três momentos do roman à clef na literatura brasileira: uma leitura a partir do cronotopo bakhtiniano

Pauliane Amaral

Resumo


Esse trabalho toma como ponto de partida o ensaio “Formas de tempo e de cronotopo do romance” (1937-1938), de Mikhail Bakhtin, para esboçar uma genealogia do roman à clef a partir da análise de romances brasileiros pertencentes a diferentes momentos de nossa história literária: Recordações do Escrivão Isaías Caminha (1909), de Lima Barreto; O inferno é aqui mesmo (1979), de Luiz Vilela; e Chá das cinco com o vampiro (2010), de Miguel Sanches Neto.


Palavras-chave


espaço; literatura brasileira; Mikhail Bakhtin; tempo; teorias da narrativa.

Texto completo:

PDF

Referências


APPLEGATE, D. Roman à Clef. American Literary History, v. 7, n. 1 (Spring, 1995), Oxford University Press. p. 151-160.

ARENDT, H. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. 12. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2015. 403 p.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2011. 476 p.

BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética. A teoria do romance. Tradução de Aurora Fornoni Bernadini. São Paulo: Hucitec, 2014. 439 p.

BALDICK, C. The Oxford dictionary of literary terms. Oxford University Press, USA, 2008. 361 p.

BARBOSA, F. de A. A vida de Lima Barreto. 1881-1922. São Paulo: Edusp, 1988. 317 p.

BARRETO, L. Recordações do escrivão Isaias Caminha. São Paulo: Ática, 1995. 167 p.

FOUCAULT, M. O que é um autor? In:______. Ditos e escritos III – Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. p. 264-298.

FRANÇA, E. de. Mino Carta vai reescrever o Evangelho. Livros, Revista Bula, 17/08/2011. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2015.

HALLEWELL, L. O livro no Brasil: sua história. Tradução de Maria da Penha Villalobos, Lólio Lourenço de Oliveira e Geraldo Gerson de Souza. 2. ed. São Paulo: Edusp, 2005. 809 p.

LINS, O. Lima Barreto e o espaço romanesco. São Paulo: Ática, 1976. 153 p.

LOPES, A. C. M.; REIS, C. Dicionário de teoria da narrativa. São Paulo: Ática, 1988. 327 p.

MOISES, M. Dicionário de termos literários. Editora Cultrix, 2002. 520 p.

SANCHES NETO, M. Chá das cinco com o vampiro. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010. 285 p.

SANCHES NETO, M. O romancista Luiz Vilela. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, v. 0, n. 31, jan. 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 jun 2015. p. 201-215.

SILVA, U. G. A escrita biográfica na antiguidade: uma tradição incerta. Politeia: Hist. e Soc. Vitória da Conquista (BA), v. 8, n. 1, 2008, p. 67-81. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2015.

VERBETE (Roman à clef). Encyclopædia Britannica. Disponível em: . Acesso em: 30 jun 2015.

VILELA, L. O inferno é aqui mesmo. São Paulo: Ática, 1983. 224 p.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i3.635

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)