Discurso imagético sobre uma infância nos jornais: uma construção

Milene Maciel Leite

Resumo


Este artigo objetiva refletir sobre as produções de sentido para uma infância hoje, no discurso imagético em circulação na imprensa. Sob o embasamento teórico-metodológico da Análise do Discurso com base em Pêcheux e Orlandi, propomos uma análise discursiva de uma fotografia retirada do jornal O Globo online, assim como da legenda e do título da notícia, em uma relação contraditória entre verbal e não verbal. No que concerne ao não verbal, propomos, de um lado, o valor testemunhal da fotografia, pela afetação que porta e por o que tem a transmitir; de outro, consideramos seu valor mercadológico, no instante em que serve à venda. Do lugar da Análise do Discurso, utilizamos os trabalhos de Orlandi (1995), Lagazzi (2009) e Lunkes (2014), que abrem espaço à consideração do não verbal como objeto, ou, conforme Lagazzi (ibidem), distintas materialidades significantes como foco de análise. 


Palavras-chave


Análise do Discurso; sujeito; imagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém, um relato sobre a banalidade do mal. Tradução de José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. 344 p.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Tradução de Dora Flaksman – [Reimpr.]. Rio de Janeiro: LTC Editora, 2012[1973]. 196 p.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009. 671 p.

CASADEI, E. Composição fotojornalística e história: função testemunhal como ato performativo e interação de linguagens. Revista eletrônica do programa de pós-graduação em Mídia e Cotidiano, Artigos seção livre, n. 4, p. 4-24, 2014.

DALMONTE, E. Presente: o tempo do jornalismo e seus desdobramentos. História, v.29, n.1, p. 328-344, 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2015.

DELA-SILVA, S. Pêcheux e a plurivocidade dos sentidos. In: Seminário de Estudos em Análise do Discurso (1: 2003: Porto Alegre, RS). Anais do I SEAD – Seminário de Estudos em Análise do Discurso [recurso eletrônico] – Porto Alegre: UFRGS, 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2015.

DELA-SILVA, S. O acontecimento discursivo da televisão no Brasil: a imprensa na constituição da TV como grande mídia. 2008. 225 f. Tese (Doutorado em Estudos de Linguagem) – Instituto de Estudos de Linguagem, Universidade Estadual de Campinas.

ENDO, P. O consumo de imagens violentas: pacto e alienação. Psicologia Clínica, v. 17, p. 77-94, 2005.

LAGAZZI, S. O recorte significante da memória. In: INDURSKY, F.; FERREIRA, M. C. L.; MITTMANN, S. O discurso na contemporaneidade. São Carlos: Claraluz, 2009. p. 65-78.

LAGAZZI, S. Linha de passe: a materialidade significante em análise [online]. 2010, n. 16. v. 2. Consultada no Portal Labeurb – Revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2015.

LUNKES, F. O Discurso sobre a depressão na revista Veja (1968-2010) em materialidades verbais e não verbais: o triunfo dos efeitos de sentido de medicalização. 2014. 307 f. Tese (Doutorado em Estudos de Linguagem) – Universidade Federal Fluminense, Niterói.

MARIANI, B. O comunismo imaginário: práticas discursivas da imprensa sobre o PCB (1922-1989). 1996. 256 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

MARIANI, B.; MEDEIROS, V. Mulher na favela e confronto policial: por um arquivo de imagens, In: MARIANI, B.; MEDEIROS, V.; SILVA, S. D. (org.). Discurso, arquivo e... Rio e Janeiro: 7LETRAS, 2011. p. 67-92.

MEDINA, C. Notícia: um produto à venda. Jornalismo na sociedade urbana e industrial. São Paulo: Alfa-Omega, 1978. 188 p.

MEDINA, C. Ciência e jornalismo: da herança positivista ao diálogo dos afetos. São Paulo: Summus, 2008. 118 p.

ORLANDI, E. Efeitos do verbal sobre o não-verbal. Rua (Revista do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade), Campinas, Editora da UNICAMP, n. 1, p. 7-35, 1995.

ORLANDI, E. Tralhas e troços: o flagrante urbano. In: Cidade dos Sentidos. Campinas: Pontes, 2004. p. 27-62.

ORLANDI, E. Interpretação, autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Campinas: Pontes, 2012[1996]. 156 p.

ORLANDI, E. Análise de discurso. Princípios e procedimentos. 11. ed. Campinas: Pontes, 2013[1990].100 p.

ORLANDI, E. Discurso e texto. Formulação e circulação dos sentidos. Campinas: Pontes, 2012[2001]. 218 p.

PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, F.; HAK, T. (org.). Por uma análise automática do discurso. 3. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997[1969]. p. 59-158.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 4. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2009[1975]. 287 p.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. 6. ed. Campinas: Pontes Editores, 2012[1983]. 68 p.

PIERRON, J-C. Transmissão: uma filosofia do testemunho. São Paulo: Loyola, 2010. 294 p.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2012[1916]. 312 p.

SOUZA, T. Discurso e imagem – Perspectivas de análise não verbal. Ciberlegenda – Revista eletrônica do programa de pós-graduação em comunicação da Universidade Federal Fluminense, n. 1, 1998.

TAVARES, M. O verbo no texto jornalístico. Working papers em Linguística. UFSC, n.1, p. 123-142, jul./dez. 1997.

ZANELLA, A. Metrópoles do futuro: o barulho por trás do ranking de Veja. 2012. 118 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i3.767

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)