Causativas ECM e controle reverso: uma proposta para o português brasileiro

Manoel Bomfim Pereira, Heloisa Moreira Lima-Salles

Resumo


Neste trabalho, discutimos a correlação entre a sintaxe inovadora do objeto indireto (OI) dativo e a perda da causativa “românica” no português brasileiro (PB). Seguindo Chomsky (1986, 1995, 2001), buscamos demonstrar que as inovações no sistema pronominal do PB têm implicações para a manifestação das estruturas causativas, na comparação com o português europeu (PE), e com fases diacrônicas anteriores. Nossa hipótese é a de que o PB possui dois tipos de causativas, que se diferenciam pelas características morfossintáticas do causado: a causativa ECM (em que o causado é realizado como clítico, de 1ª e 2ª pessoa, e recebe caso acusativo na projeção do verbo causativo) e a causativa de controle reverso/backward control (BC) (em que o causadoé realizado como pronome forte e recebe caso nominativo na posição de sujeito da subordinada) – assim, a distribuição das estratégias corresponde a uma cisão no sistema pronominal.


Palavras-chave


Controle reverso; dativo; ECM

Texto completo:

PDF

Referências


BERLINCK, R. A.O objeto indireto no português brasileiro do século XIX. In: CONGRESSO NACIONAL DA ABRALIN, 2., 2000, Florianópolis. Anais, 1999. p. 210-220.

BERLINCK, R. A. The Portuguese Dative. In: BELLE, W. Van; LANGENDONCK, W. Van. (Org.). The Dative. Descriptive Studies. Amsterdam: John Benjamins, 1996. v. 1, p. 119-151.

BORGES, D. C. Construções causativas na diacronia do Português do Centro Oeste. Séculos XVII a XX. 2008. 139 f. Dissertação (Mestrado em linguística) – Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

CHOMSKY, N. Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris, 1981.

CHOMSKY, N. Knowledge of language: its nature, origin and use. New York: Praeger, 1986.

CHOMSKY, N. The minimalist program. Cambridge: MIT Press, 1995.

CHOMSKY, N. Derivation by Phase. In: KENSTOWICZ, M. (Ed.) Ken Hale: A Life in Language, Cambridge, Mass.: MIT Press, 2001. p. 89-155.

CYRINO, S. M. L. On complex predicates in Brazilian Portuguese. Iberia. An International Journal on Theoretical Linguistics, v. 2, p. 1-21, 2010.

DANTAS, M. A. M. A configuração do dativo de terceira pessoa no português do Brasil e no português europeu com enfoque na fala do fortalezense culto. 2007. Dissertação (Mestrado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

DUARTE, M. E. L. The loss of the ‘Avoid Pronoun’ principle in Brazilian Portuguese. In: KATO, M.; NEGRÃO, E. (Ed.). Brazilian Portuguese and the Null Subject Parameter2000. p. 17-36.

FARRELL, P. Backward Control in Brazilian Portuguese. ESCOL. CLC Publications, v. 95, p. 116-127, 1995.

GALVES, C. Agreement, predication and pronouns in the history of Portuguese. In: COSTA, J. (Ed.) Portuguese Syntax. New Comparative Studies. Oxford University Press, 2000.

GOMES, C. A. Variação e mudança na expressão do dativo no português brasileiro. In: PAIVA, M. C. de; DUARTE, M. E. L. (Org.). Mudança Lingüística em Tempo Real. 1. ed. Rio de Janeiro: Contracapa/Faperj, 2003. v. 1. p. 81-96.

GONÇALVES, A. Predicados complexos verbais em contexto de infinitivo não preposicionado em Português Europeu. 1999. 500 f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 1999.

ILARI, R. et al. Os pronomes pessoais do português: um roteiro para a análise. In: KATO, Mary Aizawa; CASTILHO, Ataliba Teixeira de (Org.). Gramática do Português Falado 4: Estudos descritivos. 1. ed. Campinas: Edunicamp, 1996. v. 1, p. 79-167.

KATO, Mary A. Strong pronouns, weak pronominals and the null subject parameter. Probus, n. 11, v. 1, p. 1-37, 1999.

KAYNE, R. French Syntax: the transformational cycle. Cambridge: MIT Press, 1975.

MARTINS, A. ambigüidade estrutural e mudança linguística: a emergência do infinitivo flexionado nas orações complemento de verbos causativos e perceptivos.In: BRITO, A. M.; FIGUEIREDO, O.; BARROS, C. (Ed.). Lingüística Histórica e História da Língua Portuguesa. Actas do Encontro de Homenagem a Maria Helena Paiva. Porto: Secção de Linguística do Departamento de Estudos Portugueses e de Estudos Românicos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2004. p. 197-225.

NASCIMENTO, A. M. A variação na expressão do dativo em variedades linguísticas rurais goianas. 2007. 128 f. Dissertação (Mestrado em linguística) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2007.

PEREIRA, M. B. A sintaxe inovadora do objeto indireto no português brasileiro. In: CÍRCULO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS DO SUL (CELSUL), 2012, Cascavel, PR.Anais... Cascavel: CELSUL, 2012.

PEREIRA, M. B. A sintaxe do dativo em estruturas com verbos causativos no português brasileiro. 2013. 84 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

RABELO, P. Argumentos (EPP) nulos no português do Brasil em contextos oracionais finitos e infinitivos. 2010. 232 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas – Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

RIZZI, L. A restructuring Rule in Italian Syntax. In: KEYSER, S. J. (Org.). Recent transformat studies in European Languages. Cambridge: Mass; The MIT Press, 1978.

TORRES MORAIS, M. A. Um Cenário para o Núcleo Aplicativo no Português Europeu. Revista da ABRALIN, v. 1-2, n. 5, p. 239-266, 2006.

TORRES MORAIS, M. A.; BERLINCK, R. A. “Eu disse pra ele” ou “disse-lhe a ele”: a expressão do dativo nas variedades brasileira e europeia do português. In: CASTILHO, A. et al. (Org.). Descrição, história e aquisição do português brasileiro. Campinas: Pontes; Fapesp, 2007. v. 1. p. 61-74.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)