Hierarquias sociais, normas e variações linguísticas em São Paulo

Hosana dos Santos Silva

Resumo


Neste estudo, discutimos a complexa experiência social e linguística do grupo de
intelectuais republicanos paulistas, entre o final do século XIX e início do XX, observando o modo como diferentes ideologias e militâncias políticas influíram em suas produções linguísticas. Para o desenvolvimento do estudo, analisamos os padrões de ordenação dos clíticos pronominais em um conjunto de textos produzidos por quatro integrantes desse grupo. Nessa proposta de trabalho,
orientada pelos pressupostos teóricos da Sociolinguística Variacionista, História e Sociologia da Linguagem, defendemos a hipótese de que a variedade culta paulista apresenta características próprias, que a distanciam do português europeu moderno. Ademais, as formas linguísticas que singularizam a produção escrita desses intelectuais funcionam como marcadores de diferenciação entre falantes, à medida que revelam a posição social do indivíduo e os efeitos da instrução formal sobre suas práticas.


Palavras-chave


intelectuais republicanos paulistas, português brasileiro, clíticos pronominais

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)