Letramento escolar e ensino do texto: entre a tipologia textual e os gêneros do discurso

Luciano Novaes Vidon

Resumo


Neste trabalho, dedicado ao Professor João Wanderley Geraldi, em homenagem aos trinta anos de publicação de O texto na sala de aula (1984), procuramos refl etir sobre o atual estado do ensino de língua portuguesa no Brasil, especialmente no que diz respeito ao processo ensino-aprendizagem do texto, considerando, por hipótese, que esse processo se encontra no limiar entre uma concepção tradicional “tipológica” e uma concepção contemporânea “genérica”. Indícios desse lugar fronteiriço, limítrofe ou mesmo contraditório podem ser encontrados em materiais didáticos, práticas linguístico-pedagógicas, propostas de produção textual e, no limite, em textos produzidos por estudantes. Analisamos, neste artigo, a proposta de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), como um desses lugares fronteiriços e contraditórios.  


Palavras-chave


Texto; Ensino; Gêneros do Discurso

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M. O pesquisador e seu outro: Bakhtin nas ciências humanas. São Paulo: Musa, 2001.

BAKHTIN, M. [VOLOSHINOV]. Marxismo e fi losofi a da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2003.

BAKHTIN, M. Para uma fi losofi a do ato responsável. São Carlos-SP: Pedro & João Editores, 2010a.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2010b.

BAWARSHI, A. S.; REIFF, M. J. Gênero: história, teoria, pesquisa e ensino. São Paulo: Parábola, 2013.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Guia da Prova de Redação do Enem. Brasília-DF: MEC/Inep, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, 1998.

BRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos. São Paulo: Educ, 1999.

CHARTIER, A.-M. Práticas de leitura e escrita – história e atualidade. Belo Horizonte-MG: Ceale/Autêntica, 2007.

DI PIETRI, E. A constituição do discurso da mudança do ensino de língua materna no Brasil. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

GERALDI, J. W. (Org.) O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel, PR: Assoeste, 1984.

GNERRE, M. Linguagem, escrita e poder. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

GOMES-SANTOS, S. N. A questão do gênero no Brasil: teorização acadêmico-científica e normatização ofi cial. 2004. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

GRILLO, S. Função dos gêneros e metodologia na constituição do corpus em Análise do Discurso. Estudos Linguísticos, v. 32, 1CD, 2003a.

GRILLO, S. Manuais de redação e estilo: gêneros do discurso, linguagem e objetividade na imprensa. The especialist, São Paulo, v. 24, p. 85-110, 2003b.

GRILLO, S. Divulgação científi ca na esfera midiática. Revista Intercâmbio, São Paulo, v. XV, 2006.

JAKOBSON, R. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 2001.

KLEIMAN, A. Os signifi cados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

MIOTELLO, V. Discurso da ética e a ética do discurso. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2011.

MORRISON, K. Estabelecendo o texto: a institucionalização do conhecimento por meio das formas históricas e fi losófi cas de argumentação. In: BOTTÉRO, J. et al. Cultura, pensamento e escrita. São Paulo: Ática, 1996. p. 141-200.

ROJO, R. Gêneros do discurso/texto como objeto de ensino de línguas: um retorno ao Trivium? In: SIGNORINI, I. (Org.). [Re]Discutir texto, gênero e discurso. São Paulo: Parábola, 2008.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2010.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. São Paulo: Cortez, 2010.

SOARES, M. B. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Ceale/Autêntica, 1998.

SOARES, M.; NASCIMENTO, E. Técnicas de redação. Rio de Janeiro: Vozes, 1978.

SCHENEUWLY, B.; DOLZ, J. Genres et progression en expression orale et écrite. Eléments de réflexions à propos d’une expérience romande. Enjeux, n. 37/38, p. 31-49, 1996. Tradução provisória de Roxane Rojo.

VIDON, L. N. A prática escolar de ensino de gêneros do discurso dissertativo-argumentativo: pedagogia da dessubjetivação. Estudos Linguísticos, n. 42, p. 743-755, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)