A arquitetura de Bakhtin: fundamentos do conceito de polifonia

João Marcos Mateus KOGAWA

Resumo


O pensamento de M. Bakhtin e seu círculo traz indagações importantes para o campo linguístico e literário. Os conceitos que formam o universo teórico desse grupo russo permitem-nos investigar diferentes tipos de discursos. Analisamos a constituição do conceito de polifonia desenvolvido no texto Problernas da poética de Dostoiévski como uma categoria estética em relação com a filosofia linguística (natureza dialógica da linguagem) de Bakhtin. Empreendemos breves reflexões sobre a canção "Geni e o Zepelim , de Chico Buarque, para entender esse discurso como monológico. O procedimento teórico e metodológico conduz-nos a relativizar algumas "máximas como: "a consciência é polifônica ou "todo discurso é polifônico . A polifonia não se caracteriza apenas pela coexistência de várias vozes. Mais que isso, é a forma de coexistência das vozes que permite a Bakhtin concluir que Dostoiévski é um autor polifônico. O romance polifônico é um espaço discursivo em que as personagens compõem um conjunto e vozes que dialogam igualmente. Não há sobreposição de uma voz sobre outra, apesar de o autor ser o centro organizador da relação entre as personagens.

Palavras-chave


Polifonia. Círculo de Bakhtin. Chico Buarque. Autor

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.