A LÍQUIDA PALATAL DO PORTUGUÊS NA DIACRONIA E NA AQUISIÇÃO DA ESCRITA

Franciele Collovini Tavares, Ana Ruth Moresco Miranda

Resumo


A líquida palatal do português foi introduzida no sistema consonantal a partir de processos ocorridos durante a evolução do latim ao português, os quais, de acordo com Silva (2001), são decorrentes do fenômeno da palatalização. Para Matzenauer-Hernadorena (1994), do ponto de vista melódico, isto é, em termos segmentais, a líquida palatal tem uma estrutura complexa, pois apresenta duas articulações, uma primária, no ponto de consoante, e outra secundária, no nó vocálico. Considerando-se a complexidade da consoante, este estudo tem o objetivo de investigar o comportamento da líquida palatal, observando-se a diacronia e a aquisição da escrita. Para a composição do corpus da pesquisa foram analisados dados de escrita de crianças brasileiras e portuguesas pertencentes aos estratos 3 e 4 do BATALE – Banco de Textos de Aquisição da Linguagem Escrita. A amostra utilizada para análise dos processos envolvidos na diacronia das soantes palatais foi composta por dados extraídos de livros que tratam da evolução do latim ao português. Os resultados demonstraram que os processos verificados na diacronia e na aquisição da escrita ocorrem em direções opostas. Os resultados apontaram que há uma simplificação das consoantes complexas pelas crianças na aquisição da escrita enquanto ocorre o processo inverso na diacronia da líquida palatal.


Palavras-chave


líquida palatal; aquisição da escrita; diacronia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21165/gel.v17i1.2770

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.