A sintaxe da língua geral de Mina no contexto da sintaxe das línguas Gbe: problematizando hipóteses de reestruturação

Autores

  • Wellington Santos da Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Palavras-chave:

Língua Geral de Mina. Línguas Gbe. Construções de Serialização Verbal. Verbos de Complementação Inerente.

Resumo

O objetivo deste trabalho é propor a análise de alguns tópicos da sintaxe da Língua Geral de Mina, uma língua africana falada em Minas Gerais, durante o século XVIII. A análise dos dados sintáticos, calcada na literatura sobre a gramática das línguas Kwa/Gbe, serve para problematizar as abordagens de Yai (1997) e Bonvini (2008), os quais argumentam que a língua africana em questão passou por processos de reestruturação acentuada no Brasil. Porém, os tópicos gramaticais mostram que é possível dizer que a Língua Geral de Mina tem muitas semelhanças com as outras línguas Gbe, tanto do ponto de vista diacrônico quanto do ponto de vista das línguas Gbe modernas. Por tal razão, defendemos que ela não pode ser classificada como uma variedade crioulizada ou pidginizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABOH, E. O. A ‘mini’ relative clause analysis for reduplicated attributive adjectives. Linguistics in the Netherlands, v. 24, p. 1-13, 2007.

ABOH, E. O. Clause structures and Verb series. Linguistic Inquiry, v. 40, n. 1, p. 1-33, 2009.

ABOH, E. O. The Emergence of Hybrid Grammars: Language Contact and Change. Cambridge: Cambridge University Press, 2015a.

ABOH, E. O. Functional verbs in Gungbe: The case of inherent complement verbs. Linguística: revista de estudos linguísticos da Universidade do Porto, v. 10, p. 9-29, 2015b.

ABOH, E. O.; ESSEGBEY, J. General properties of the clause. In: ABOH, E. O.; ESSEGBEY, J. (ed.). Topics in Kwa Syntax. London: Springer, 2010. p. 39-64.

AMEKA, F. Information Packaging Constructions in Kwa. In: ABOH, E. O.; ESSEGBEY, J. (ed.). Topics in Kwa Syntax. London: Springer, 2010. p. 141-175.

ARAÚJO, F. Fome do ouro e fama da obra. Antonio da Costa Peixoto e a “Obra Nova de Lingoa Geral de Mina” – alianças, proximidades e distâncias de um escritor português no Brasil colonial do século XVIII, 2013. No prelo.

AWOYALE, Y. Complex Predicates and Verb Serialization. University of Ilorin and MIT, Cambridge, Massachusetts, 1988.

BONVINI, E. Línguas africanas e português falado no Brasil. In: FIORIN, J. L.; PETTER, M. M. T. (org.). África no Brasil: a formação da língua portuguesa. São Paulo: Contexto, 2008.

CASTRO, Y. P. A Língua Mina-Jeje no Brasil: um falar africano em Ouro Preto no século XVIII. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro; Secretaria de Estado da Cultura, 2002.

CASTRO, Y. P. De como Legba tornou-se interlocutor dos deuses e dos homens. Cadernos Pós Ciências Sociais, São Luís, v. 1, n. 2, p. 123-133, 2004.

ESSEGBEY, J. Inherent complement verbs revisited: towards an understanding of argument structure constructions in Ewe. Nijmegen: MPI Dissertation series 10, 1999.

FERNANDES, G. A Língua Geral de Mina (1731/1741) de António da Costa Peixoto. Confluência, v. 43, n. 2, p. 28-46, 2012.

LEFEBVRE, C.; BROUSSEAU, A. M. A grammar of Fongbe. Berlin/New York: Mouton, 2002.

LOPES, E. C. Os trabalhos de Costa Peixoto e a língua Evoe no Brasil. In: SILVEIRA, L. Obra Nova de Língua Geral de Mina,de António da Costa Peixoto. Agência Geral das Colônias: Lisboa, 1945.

MANESSY, G. Créoles, pidgins, variétés véhiculaires, procès et genèse. Paris: Editions du CNRS, 1995.

MUFWENE, S. S. Language Evolution: contact, competition and change. London: Continuum, 2008.

PARÉS, L. N. Os Africanos Ocidentais. In: SCHWARCZ, L.; GOMES, F. (org.). Dicionário Escravidão e Liberdade: 50 textos críticos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

ROSA, M. C. O quimbundo em cinco testemunhos gramaticais. Confluência, v. 1, n. 56, p. 55-113, 2019.

SANTOS DA SILVA, W. A Língua Geral de Mina e o Ciclo do Ouro: um capítulo da história dos contatos no Brasil. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

SANTOS DA SILVA, W. Estudando a sintaxe da língua geral de Mina: as línguas Gbe e a formação do Português Brasileiro. In: CONSTELAÇÕES DIACRÔNICAS EM HOMENAGEM A CHARLOTTE GALVES E MARY KATO. V CONGRESSO INTERNACIONAL DE LINGUÍSTICA HISTÓRICA, 2021, Campinas: Unicamp, 2021.

SOARES, M. C. Diálogos Makii de Francisco Alves de Souza: manuscrito de uma congregação católica de africanos Mina, 1786. São Paulo: Editora Chão, 2019.

SOUZA, L. M. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. 4. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2004.

TEIXEIRA DE SOUSA, L. Sobre as origens da distinção entre negação de proposição e negação de evento no português brasileiro. Estudos de linguística galega, vol. esp. I, p. 123-138, 2018.

YAI, O. B. Identifying Enslaved Africans in Fon and Yoruba Vocabularies in Brazil (18th-19th centuries). In: LOVEJOY, P. E. Identifying enslaved Africans in the nigerian hinterland. Toronto: Unesco Conference, 1997. p. 543-553.

Downloads

Publicado

28-12-2021

Como Citar

Santos da Silva, W. (2021). A sintaxe da língua geral de Mina no contexto da sintaxe das línguas Gbe: problematizando hipóteses de reestruturação. Revista Do GEL, 18(3), 169–190. Recuperado de https://revistas.gel.org.br/rg/article/view/3311

Edição

Seção

Edição Temática