A argumentatividade e a construção da significação como processo de integração conceptual

Renata Amaral Teixeira, Maria Regina de C. Caseiro Oliveira

Resumo


Considerando-se as relações da sintaxe, da semântica e das escolhas lexicais estreitamente relacionadas às experiências humanas e, dessa relação, a efetivação de um profundo envolvimento na expressão e construção da compreensão humana do mundo, lidamos, neste trabalho, com um conceito de argumentatividade segundo o qual ela é uma propriedade, ora mais ora menos detectável, de determinadas operações léxico-sintático-discursivas que, na e pela enunciação, indiciam a criação e/ou promovem a articulação de espaços referenciais e orientam o processo de referenciação, fornecendo pistas que indiciam todo processamento discursivo. Dessa forma, pretendemos demonstrar como se dá a construção da significação pela mente humana â luz da teoria da Integração Conceptual. Para tanto, partimos do pressuposto básico de que as expressões lingüísticas, por si só, não portam sentidos e que todo e qualquer processo de referenciação se estabelece a partir da correspondência entre o papel das construções lingüísticas e determinados estados de nossa mente, necessariamente envolvidos no processamento discursivo. Nessa perspectiva, tentaremos explicar quais tipos de conexões nossas mentes tendem a fazer e quais tipos de efeitos são produzidos por diferentes contextos com/em que operam.


Palavras-chave


Integração Conceptual. Espaços Mentais. Referenciação. Argumentatividade.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.