A logística das sessões de interação e mediação no teletandem com vistas ao ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras

Daniela Nogueira de Moraes Garcia

Resumo


A internet e suas ferramentas nos conduzem por veredas multifacetadas, que demandam exploração e conhecimento e permitem acesso aos povos e culturas. O teletandem é um contexto telecolaborativo, como afi rma Telles (2009). Ele permite a formação de parcerias entre aprendizes de diferentes línguas para sessões bilíngues de conversação via aplicativos como o Skype. A aprendizagem em tandem norteia-se pelos princípios de autonomia, reciprocidade e uso separado de línguas. Este artigo descreve a logística das sessões de teletandem e apresenta dados coletados, sob uma metodologia qualitativa de cunho etnográfi co, enquanto olhamos para as interações, a formação de professores e as sessões de mediação. Os resultados preliminares revelam desafi os referentes às diferenças de calendário escolar e fuso horário entre países e à maneira como o teletandem é concebido nas diferentes instituições.


Palavras-chave


ensino/aprendizagem; línguas estrangeiras; novas tecnologias; teletandem

Texto completo:

PDF

Referências


ARANHA, S. Os gêneros na modalidade de teletandem institucional integrado: a primeira sessão de interação. In: NASCIMENTO, E. L. et al. (Org.). Gêneros de texto/discurso e os desafios da contemporaneidade. Campinas: Pontes Editores, 2014. p. 97-120.

ARAUJO, N. R. P. Formação de parcerias de teletandem: da organização ao sistema de atividades. 2012. 144f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

BEDRAN, P. F. A (re)construção das crenças do par interagente e dos professores mediadores no teletandem. 2008. 357f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

BELZ, J. A. From the special issue editor. Language Learning & Technology, v. 7, n. 2, p. 2-5, 2003. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2014.

BROCCO, A. S. A gramática em contexto teletandem e em livros didáticos de português como língua estrangeira. 2009. 250f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

CANDIDO, J. Teletandem: Sessões de orientação e suas perspectivas para o curso de Letras. 2010. 230f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

CAVALARI, S. M. S. A auto-avaliação em um contexto de ensino-aprendizagem de línguas em tandem via chat. 2009. 269f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

ELSTERMANN, A. K. Primeiras refl exões e desafi os-experiência sobre a mediação no processo de aprendizagem no Teletandem. Teletandem News, ano V, n. 1, p. 24, jan./abr. 2011.

FUNO, L. B. A. Teletandem e formação contínua de professores vinculados à rede pública de ensino do interior paulista: um estudo de caso. 2011. 195f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

GARCIA, D. N. M. O que os pares de teletandem (não) negociam: práticas para um novo contexto online, interativo para o ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras no século XXI. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2013. 216 p.

GARCIA, D. N. M. O professor e a prática telecolaborativa no teletandem. The Especialist, v. 32,

p. 81-108, 2011.

GARCIA, D. N. M. Teletandem: acordos e negociações entre os pares. 2010. 290f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

KAMI, C. M. C. A motivação na aprendizagem de língua estrangeira via teletandem. 2011. 239f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

KANEOYA, M. L. C. K. A formação inicial de professoras de línguas para/em contexto mediado pelo computador (teletandem): um diálogo entre crenças, discurso e reflexão profi ssional. 2008. 263f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.

LEVY, M. Culture, Culture Learning and New Technologies: Towards a Pedagogical Framework. Language Learning and Technology, v. 11, n. 2, p. 104-127, 2007.

LITTLE, D. et al. Evaluating tandem language learning by e-mail: report on a bilateral project. CLCS Occasional Paper, Trinity College, Dublin, n. 55, p. 1-27, 1999.

LUZ, E. B. P. A construção da autonomia no processo de ensino e aprendizagem de línguas em ambiente virtual (in-teletandem). 2009. 231f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Unesp, São José do Rio Preto.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)