Narradores de Javé: das muitas formas de narrar às muitas formas de ler

Maria do Carmo Souza de Almeida

Resumo


O objetivo deste artigo é refletir sobre as muitas formas de narrar no filme Narradores de Javé (2003) e sobre os diálogos que o filme estabelece com o contexto no momento de sua produção. Partimos da perspectiva de conceber o filme como documento, isto é, como fonte para estudo de um determinado contexto e como um discurso. Lançamos um olhar para o filme a fim de discutirmos o que o filme narra; como o faz; e “os entornos” envolvidos no momento de sua produção e com os quais o filme dialoga, no sentido bakthiniano do termo. Portanto, como apoio teórico, recorremos aos teóricos que discutem a relação entre cinema e história e àqueles que abordam a teoria dialógica do discurso. Nossas reflexões nos mostraram que, nesse filme, as formas de narrar a história são alegorias da história que o filme quer contar e problematizar.

Palavras-chave


linguagem audiovisual; narrativa cinematográfica; discurso.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)