Os registros não-convencionais da coda nasal em dados de EJA

Priscila Barbosa Borduqui Campos, Luciani Ester Tenani, Larissa Cristina Berti

Resumo


O presente artigo trata das grafias não-convencionais de sílabas com coda nasal, produzidas por jovens e adultos em processo de alfabetização. Analisamos a posição de coda silábica nasal através de cinco propostas de escrita, considerando as diferentes vogais que preenchem o núcleo da sílaba, a tonicidade da sílaba e as suas possibilidades de representação gráfica. Observa-se que as grafias não-convencionais encontradas nos dados levantados podem ser explicadas a partir do trânsito do sujeito escrevente por práticas orais e letradas, uma vez
que, em sua produção escrita, os sujeitos ancoram-se ora em características fonético-fonológicas dos enunciados falados, ora em características dos enunciados escritos, como as convenções ortográficas.


Palavras-chave


sílaba; aquisição da escrita; letramento; oralidade; EJA.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)